Tuesday, January 30, 2007

A Essência da Paixão (The House of Mirth, 2000)


Numa tradução literal, “house of mirth” significa a casa do riso, da alegria. Depois que temos a oportunidade de assistir ao filme “A Essência da Paixão”, o por quê do uso do nome fica sem explicação – uma vez que todos os personagens da película são frios, racionais, raramente se deixam levar pela emoção e, quando riem, é porque estão caçoando de alguém.

“A Essência da Paixão”, filme dirigido e roteirizado por Terence Davies (tendo como base um livro de Edith Wharton, uma autora adaptada para o cinema no filme “A Época da Inocência”, de Martin Scorsese) acompanha dois anos da vida de Lily Bart (Gillian Anderson), uma dama da sociedade nova-iorquina que vive com a tia (Eleanor Bron) e a prima (Jodhi May) numa confortável casa. Lily é uma pessoa cheia de bons contatos, conhece muitas pessoas e, por isso, é um alvo certo das conversas e dos olhares de ambos os sexos.

Para a maioria das mulheres da sociedade, Lily está ficando velha e precisa arrumar um marido. Ela também tem consciência disso e se preocupa demais com seu futuro. O problema é a maneira como se dá o seu relacionamento com os homens. Lily não só tem a capacidade de se adequar àquilo que é esperado dela, como também consegue manter o seu verdadeiro eu exclusivamente para poucas pessoas – como à amiga Bertha Dorset (Laura Linney) e seu marido George (Terry Kinney), o Sr. Rosedale (Anthony LaPaglia), o casal Gus (Dan Aykroyd) e Judy Trenor (Penny Downie) e àquele que podemos considerar como o grande amor de sua vida Lawrence Selden (Eric Stoltz).

Quando os seus modos passam a ser questionados e o seu nome manchado injustamente, Lily entra numa descendente que parece não ter fim. Ela se descuida do dinheiro, acumula dívidas e é humilhada de todas as maneiras possíveis. Os amigos a abandonam e dos poucos que ficam ao seu lado, Lily não aceita ajuda. Ou seja, ela podia estar acabada, mas seu orgulho não estava ferido.

No final, “A Essência da Paixão” é um filme sobre oportunidades perdidas. Lily Bart aprende, da pior maneira, que não existem segundas chances para consertar aquilo que ficou de errado. Ela perdeu as oportunidades que teve para ser feliz. E, mesmo quando tinha as armas para reverter a sua situação, Lily não as utilizou por amor – um sentimento que lhe foi negado a partir do momento em que ela foi colocada na margem da sociedade.

“A Essência da Paixão” é um deleite para os olhos – e para os ouvidos. O trabalho de reconstrução de época, de construção de cenários e figurinos é impressionante. A trilha sonora – que reúne várias músicas clássicas famosas – é de chamar a atenção. No entanto, o que mais surpreende é a interpretação de Gillian Anderson. No seu primeiro papel importante depois de Dana Scully, a popular personagem do seriado “Arquivo X”, ela passa da frieza ao carisma, calculismo e inteligência de Lily com extrema facilidade. Quando a personagem atinge seu ponto mais baixo é incrível ver o mergulho de Gillian nesse mar de orgulho, tristeza e resignação que invadem a sua personagem.

Inexplicável é tentar entender como este filme passou despercebido por tanta gente. “A Essência da Paixão” é um dos melhores filmes sobre o estilo de vida das sociedades antigas (e suas festas e jogos de flertes e de aparências) e sobre como o necessário relacionamento entre homens e mulheres pode consumir tanto um ser a ponto de defini-lo para a vida toda.

Cotação: 9,5

Crédito Foto: Yahoo! Movies

21 comments:

Otavio Almeida said...

Vixi! Nunca vi! Tem em DVD? Nem sabia do título original... lembro do nome THE HOUSE OF MIRTH em alguma premiação daquele ano... mas só.

Obrigado pela dica!

Bjs!

Leonardo Pereira said...

Ola Kamila. Tudo bem?
Nunca ouvi falar desse filme, mas fiquei bem curioso a respeito. Deve ser interessante ver um filme construido numa época antiga com uma temática mais séria como esse parece ter. Mostrar a sociedade sob uma outra ótica. Vou tentar achar. E parabéns pela critica, muito bem escrita.
Ahh, tem uma critica minha do Apocalypto lah no blog, se pude dar uma conferida, agradeço.
Abraço!!

Kamila said...

Otávio e Leonardo, eu conhecia "A Essência da Paixão" de nome e sempre tive vontade de assistí-lo. Nunca encontrei-o em DVD, mas, curiosamente, vi que o filme iria passar ontem no Hallmark Channel. Foi uma agradável surpresa.

Olhei no site para ver se o filme iria reprisar ainda neste mês, mas não tem nenhuma informação. De qualquer maneira, é só ficar de olho na programação do Hallmark Channel para conferir este filmaço!

Beijos.

romeika said...

Kamila, continua postando resenhas de filmes que vc veh naum soh no cinema como tb em casa! Pelo menos de filmes como esse, que rendem boas criticas como essa;) Faz tempo que vi este filme, achei muito triste... Uma tristeza essas sociedades de antigamente... Ficou na memoria a atuacao impecavel e surpreendente da Gillian Anderson, que mereceu mais reconhecimento naquele ano... Ainda naum respondi teu email..=/ Tu melhorou? bjos

Kamila said...

Romeika, agora que estou com tempo livre tem sido ótimo fazer esses textos. Mas, não sei se depois de voltar às minhas atividades normais, vou ter pique para fazer isso. Se der, continuarei fazendo.

Você sabia que uma das maiores reclamações do fãs de premiações é a ausência de Gillian da lista de melhores atrizes de 2000? Muita gente considera uma das grandes injustiças recentes nas premiações. Eu concordo com você quando diz que ela merecia mais reconhecimento. A Gillian tá com uma carreira cinematográfica em franca ascensão. Isso é muito bom de se ver.

"A Essência da Paixão" é, realmente, um filme muito triste. Mas, Romeika, será que a sociedade mudou? Tanta gente é igual à Bertha Dorset, Gus Trenor...

E, para responder à sua última pergunta: numa escala de 0 a 10, estou 4,0. Só falta os cascões do rosto caírem e as manchinhas do resto do corpo cicatrizarem. Acho que, próxima semana, já estou nova em folha.

Beijos e não se preocupe com o e-mail. Responda quando puder.

Diego said...

Se não me engano eu já ouvi falar deste, mas mesmo assim não recordo muito do filme, já que não assisti. Muito bom teu blog, continue assim, escreve muito bem.
Publiquei uma crítica de Pecados Íntimos em meu blog, passe lá depois, ok? Até mais.

romeika said...

Tomara que vc esteja pronta pra voltar a ativa na proxima semana!!! Imagino que vc deve estar louca pra voltar ao batente e assistir "Babel" hehe.
Eu concordo com esse povo, entao. Ela deveria ter sido indicada ao Oscar!! Foi o ano que a Julia Roberts venceu? Nem lembro... E realmente, por mais que a sociedade ser modernize, ainda existem pessoas como a Bertha, infelizmente. Mulheres muito passivas, eu diria. Eu ouvi uma historia ateh semelhante ano passado. Parecia coisa de filme. Dois jovens apaixonados, feitos um para o outro, planejam se casar. A familia tradicional da menina eh contra a uniao, pois o menino eh envolvido em politica, e eh comunista...rsrsrs... A menina, passiva, termina o namoro, obedecendo ao pai. Mais tarde, casa-se com um cara que nao ama, e passa a ter um casamento infeliz. Tem filhos. Tem depressao. O marido diz que eh frecura. O marido bebe e a trata mal, nao estah nem aih pra ela. E ela nao faz nada, soh aceita tudo e chora. Divorcio, jamais, afinal, que vergonha, se divorciar, casamento eh eterno. O namorado da adolescencia ainda eh apaixonado por ela. Se tornou um advogado, tem escritorio proprio, ganha muito bem. Nao virou um comunista sem futuro, como dizia o pai dela. Mas ela nao vai deixar o marido por nada, prefere viver resignada. Tenta o suicidio varias vezes, pra chamar a atencao. Nao morre. Ateh que um dia, ela vai ao medico, em uma fase muito depressiva. Ele passa uns comprimidos. Ela engole tudo. Morre. O marido nao estah nem aih. Os filhos sofrem. O homem que a amava tb. Folhetim melodramatico do seculo XIX? Nao, isso aconteceu em Natal nos ultimos vinte anos. Deus me livre!!!!

affff...

Kamila said...

Romeika, estou doida para voltar a sair de casa. hehehehehehehehe. Trabalho, cinema, tudo me faz falta. :-)

Que história triste, Romeika. O pior é que existem tantas outras histórias assim. O que importa, muitas vezes, é a aparência, e não o que se sente de verdade, o que realmente existe.

Deus me livre mesmo! :-)

Kamila said...

Diego, obrigada pela visita e pelo comentário.

Museu do Cinema said...

Onde encontro esse filme Kamila??

Nunca ouvi falar, e olha que sou fã da Laura Linney, a melhor atriz de Hollywood.

Quanto ao título original do filme, se o filme for inglês, é tipicamente do humor deles.

Kamila said...

Cassiano, o filme está passando no Hallmark Channel, canal que tem na TV por assinatura. Se você tiver, é só ficar de olho na programação do canal, que o filme está reprisando.

Não sei se "A Essência da Paixão" está disponível em DVD.

O filme é uma produção inglesa, da mesma produtora que fez "A Rainha". O humor é típico dos ingleses mesmo, apesar da história se passar em Nova York.

Victor Nassar said...

Nunca vi esse filme..mas fiquei curioso agora! parabéns pelo seu post! mais uma vez! eles são sempre bons de se ler!...hehehe


Beju

Peixe said...

Hummmmm... Filmes que não estão mais em cartaz? Vou baixar tudinho!

Kamila said...

Obrigada, Victor.

Felipe, seu doido! rsrsrsrsrssrsrsrs

Otavio Almeida said...

Kamilaaaaaaaaaaaaaaaa... perdi a pré de DREAMGIRLS aqui em SP...

Kamila said...

Eu vi seu comentário no blog do Wanderley e não acredito que você perdeu a pré-estréia de "Dreamgirls". Isso é imperdoável! :-)

Você não terá outra oportunidade para assistir ao filme?

Beijo.

Otavio Almeida said...

Tenho que olhar os jornais de amanhã para saber se haverá pré de DREAMGIRLS neste final de semana. Mas sei que a pré de terça no Iguatemi será BORAT.

Bjs!

romeika said...

Vou assistir a pre de "Dreamgirls" em Arhus, dia 05/02, numa sala ateh grande, de uns 80 acentos eu acho...=/

Insonia braba aqui...

bjos

Kamila said...

Todo mundo vai ver a pré-estréia de "Dreamgirls", menos eu... :-(

Acho que vai dar para assistir ao filme no final de semana do Carnaval, sem ter que esperar até a quarta-feira de cinzas.

Beijos e bom final de semana!

PS: Otávio, não perca a pré-estréia de "Borat".

Túlio Moreira said...

Rensga, um 9,5 da Kamila! Fiquei curioso! e que imagem bonita..

Bem, A Época da Inocência é meu Scorsese preferido (que montagem! é a puta montagem mais perfeita da história do cinema! e ainda tem Michelle Pfeiffer). E a história desse A Essência da Paixão ainda me lembrou Ligações Perigosas e Madame Bovary. OU SEJA, tem tudo para ser um filmão!

Beijo, Kamila! (e aí, já melhorou?)

Kamila said...

Túlio, "A Essência da Paixão" é um filmaço!

Estou quase melhor. Falta somente umas marquinhas cicatrizarem. Acho que, daqui para a sexta-feira, recebo alta.

Beijo, Túlio, e bom final de semana.