Wednesday, February 14, 2007

Rocky Balboa (2006)


Para parafrasear um pouco da linguagem esportiva, a história do personagem Rocky Balboa sempre foi um azarão, nunca a favorita. Sylvester Stallone – que, em 1976, ainda não era o astro no qual se transformou – ficou fascinado por uma história de um boxeador que, contra todas as chances, conseguia se superar e enfrentar de igual para igual o seu adversário; e decidiu fazer um roteiro. Até que “Rocky – Um Lutador” chegasse à grande tela, muita coisa aconteceu e o próprio Stallone conseguiu convencer os produtores da força de sua história e da importância que seria para ele estrelar este projeto. A aposta de Stallone provou-se correta, uma vez que “Rocky – Um Lutador” foi indicado a 10 Oscars, e ganhou as estatuetas de melhor direção (para John G. Avildsen), edição e, para surpresa geral, a de melhor filme.

Após algumas continuações de gosto duvidoso, Sylvester Stallone traz de volta o seu personagem no filme “Rocky Balboa”, que ele dirigiu e roteirizou. No filme, Rocky se aposentou dos ringues e virou o dono de um restaurante. De certa maneira, Rocky vive preso ao passado de glória como lutador (contando suas histórias aos clientes de seu restaurante) e como esposo de Adrian (a personagem de Talia Shire, que, no filme, faleceu recentemente). Esse “fardo” que ele carrega, o impede de ter uma relação harmoniosa com o filho Robert (Milo Ventimiglia), que tenta fugir como o diabo da cruz do peso que carrega o nome de seu pai.

Ao mesmo tempo em que lida com a decadência de Rocky, o filme analisa um pouco do cenário atual do boxe. O esporte virou um show e está – se possível – mais físico do que nunca. As lutas são decididas em questão de segundos – fato que não agrada aos fãs de boxe que pagam caro para ver lutas que duram cerca de um minuto. O supercampeão Mason Dixon (Antonio Tarver) é um representante perfeito deste novo boxe. Com a imagem arranhada, os empresários do supercampeão decidem convidar Rocky para uma última luta depois que um jogo de computador decreta que Rocky venceria Dixon em um cenário virtual. Ou seja, a luta representa uma chance para ambos os lutadores sentirem o gostinho novamente de uma glória que andava perdida.

O roteiro de Sylvester Stallone dialoga muito com o filme “Rocky – Um Lutador”. É como se Stallone – ao colocar Rocky treinando nas ruas da Filadélfia, socando carnes, superando dificuldades e subindo novamente as escadarias do Museu de Arte da Filadélfia ao som da clássica trilha de Bill Conti, “Gonna Fly Now” – estivesse tentando recuperar a essência do personagem e aquilo que o transformou em um ícone de garra e de superação para tantas pessoas.

De uma maneira muito peculiar, a trajetória de Sylvester Stallone e a de Rocky Balboa se confundem muito. Os dois experimentaram um grande sucesso. Os dois também vivenciaram uma decadência e se transformaram em uma relíquia do passado. E é a esse tempo que os dois recorrem. Se a luta com Mason Dixon significa para Rocky uma oportunidade de sair de cena de maneira honrosa, o filme “Rocky Balboa” representa para Stallone a chance de reviver a sua carreira. Se com Rocky não der certo, sempre tem aquele projeto de “Rambo 4” pronto para ser colocado em prática.

Cotação: 6,5

Crédito Foto: Yahoo! Movies

22 comments:

Otavio Almeida said...

O filme é legal! Nessa altura do campeonato, acho que só fãs irão ao cinema pra ver ROCKY BALBOA, não acha?

E Kamila, aquele meu texto do blog sobre "Os 30 Anos de Rocky Balboa", além da crítica para ROCKY BALBOA estão na edição deste mês da revista Sci-Fi News. Conhece a revista? Estou lá...

Bjs!

Kamila said...

Eu assisti "Rocky Balboa" porque gosto muito do personagem. Me surpreendi porque muita gente no cinema estava se mexendo na cadeira, vibrando e querendo que o Rocky ganhasse aquela última luta.

Conhecia a revista especializada de cinema da Sci-Fi, mas acho que ela não circula mais. Não sabia que tinha a Sci-Fi News. Vou procurar aqui em Natal para te prestigiar. :-)

Beijo.

romeika said...

Eu nunca assisti o primeiro "Rocky" (mas conheco a musiquinha...) Deixei passar esse filme no cinema (ainda estah em cartaz aqui), acho que soh vou conferir mais tarde em dvd. Quem sabe eu ateh assista o primeiro filme antes...*lol*

Kamila said...

Romeika, eu assisti todos os filmes da série "Rocky" - a maioria pelas Sessões da Tarde da vida. Tenho até "Rocky - Um Lutador" em DVD.

"Rocky Balboa" me surpreendeu muito. Pensava que o filme fosse ruim.

Roberto Queiroz said...

Rocky Balboa é um filme para fãs (para aqueles que curtiram a saga do garanhão italiano desde o início da franquia), no entanto Stallone fala de si mesmo, do seu envelhecimento dentro da indústria cinematográfica, dos falsos ídolos (ou ronaldinhos gaúchos, para quem preferir) e, principalmente, dessa indústria hipócrita dos efeitos visuais que constrói heróis a torto e a direito. Gostei muito do filme e espero que Rambo saia também (nesse mesmo molde de preferência).

(http://claque-te.blogspot.com): Perfume - A História de um Assassino, de Tom Tykwer.

Rodrigo Mathias said...

Realmente, nunca vi NENHUM dos filmes Rocky (e só me interesso pelo primeiro) que me parece ser bem mais original de que os outros (inclusive esse). Talvez eu veja. Ahh, nossa, nunca esperaria ver seu primeiro 10 pelo ótimo A Rainha.

Expetacular crítica!


Bjoooos

Túlio Moreira said...

Kamila, assim como o Rodrigo, nunca assisti a nenhum dos filmes da franquia, mas li a reportagem especial publicada na revista SET desse mês, e acho que a sua crítica acertou o alvo em cheio: esse sexto filme busca a essência dos outros (principalmente o primeiro e o quarto, considerados os melhores) e tenta apagar o fracasso da quinta aventura. E quem não conhece "Gonna Fly Now"? Se eu não fosse um cinéfilo desesperado em conhecer outros diretores e grandes filmes, com certeza reservaria um tempinho para fazer uma maratona "Rocky".

Beijão!

romeika said...

Nossa, eu pensei que soh eu nao tinha vista nenhum dos filmes, que surpresa. Kamila, sempre perdi os "Rocky" nas sessoes da tarde da vida, mas espero ver pelo menos o primeiro algum dia. Nao tenho muita vontade de ver os outros. Dah pra assistir o primeiro da serie e esse ultimo e compreender a saga numa boa?

Kamila said...

Roberto, concordo plenamente com seu comentário. No filme "Rocky Balboa", Stallone parece que fala de si mesmo.

Obrigada, Rodrigo. "Rocky - Um Lutador" é um filme de que gosto muito. Acho que, se você assistir ao primeiro filme, vai gostar de "Rocky Balboa".

Túlio, uma maratona Rocky pode ser feita sem esforço algum. A Globo vive reprisando os filmes da série. É só ficar de olho na programação da Sessão da Tarde, da Sessão de Sábado.

Romeika, se você assistir "Rocky - Um Lutador", dá para compreender "Rocky Balboa", porque esse último filme faz muitas referências ao primeiro filme da série. Mas, se pudesse te dar um conselho, seria que você assistisse a todos os filmes, aí você veria a evolução do Rocky, que iniciou como sendo um cara que acreditava no sonho americano para um personagem que passou a defender os valores dos EUA.

Bom Carnaval para todos!

Museu do Cinema said...

Kamila, não tinha nada melhor no cinema para ver?

Kamila said...

Não, Cassiano. Infelizmente, aqui em Natal ainda não estreou "Pecados Íntimos" ou "O Último Rei da Escócia". E nem sei se esses filmes estrearão por aqui tão cedo...

Museu do Cinema said...

E Babel? Ainda não estreou? O pessoal dai é doido hein, preferir Rocky do que esses filmes...

Kamila said...

"Babel" já estreou e ainda está em cartaz. Até já assisti ao filme.

O problema é o seguinte, Cassiano: no Nordeste, a prioridade sempre é Recife, Salvador e Fortaleza. Cidades como Natal ficam na dependência dessas outras cidades. E, geralmente, quando os filmes saem em cartaz dessas cidades, podem ou não passar aqui.

Túlio Moreira said...

Kamila, eu sempre tenho problemas em fazer maratonas! Nunca consigo reunir todos os filmes pra assistir de uma só e "Rocky", puxa!, seriam seis longas de uma tacada só!

Acho que a próxima maratona que vou enfrentar será a dos filmes do Hannibal (que são só 3, e eu tenho em VHS, o que fica mais fácil), para preparar os ânimos para o novo filme que estréia em breve...

Beijo e bom carnaval! (apesar de nem precisar desejar, já que em Natal a folia deve ser da hora!)

romeika said...

Valeu a dica, Kamila. Mas se eu conseguir assistir o primeiro e esse ultimo qualquer dia, jah estarah de bom grado. Tenho ateh vergonha de nunca ter visto o primeiro "Rocky" hehehe. Filme vencedor do Oscar, neh?

Tulio, falando em maratonas, amanha vou assistir a saga de "O Senhor dos Aneis" no cinema. :) Alguem aih jah experimentou assistir os tres filmes seguidos, um atras do outro, em dvd?

Bom carnaval pra vcs! Feriado aqui pra mim soh na pascoa hehe

Kamila said...

Uma maratona dos filmes com Hannibal é uma ótima pedida. Assisti a todos os filmes com esse clássico personagem (incluindo o primeiro "Dragão Vermelho", com William Petersen como Hannibal e a direção de Michael Mann) e sempre é bom rever estes filmes.

Mas, Túlio, é como eu disse: fica de olho na Globo, que eles sempre estão passando filmes com Rocky.

O Carnaval aqui em Natal é legal, é carnaval de rua, com trio elétrico, axé. Mas, nesse ano, vou fugir da folia daqui. Viajo amanhã mais para descansar e fazer algo diferente. É sempre bom a gente mudar de ares de vez em quando, não acha?

Beijo.

Kamila said...

Romeika, fico impressionada de saber que você nunca viu "Rocky - Um Lutador". O filme vivia passando na TV quando a gente estava crescendo. Assista urgentemente!

Túlio Moreira said...

Kamila, inclusive eu achei o primeiro "Dragão Vermelho" (o do Mann) bastante superior à sua refilmagem, do Ratner.

Puxa, Romeika, encarar a trilogia do Frodo num fôlego só deve provocar o mesmo efeito que assistir à muitos episódios de "Lost" seguidamente: suspiros constantes e efervescência com o que se vê na tela. Boa maratona!

Beijos para as duas!

Kamila said...

Eu gosto mais do "Dragão Vermelho" do Brett Ratner, Túlio. Acho tudo que tenha Edward Norton no elenco levemente superior aos outros. :-)

Alex Gonçalves said...

Confesso nunca ter visto nenhum filme da trajetória de Rocky (e também não me recordo de nenhum dos Rambo's). Interessante a comparação que todos fazem de Rocky com os auges e decadências da carreira de Sylvester Stallone...
Quando sobrar um tempinho, começo a reservar os filmes anteriores do personagem nas vídeos-locadoras.

Kamila said...

Estou impressionada com a quantidade de gente que diz que assistiu a nenhum filme da série Rocky.

Anonymous said...

Simply desire to say your article is as surprising.
The clearness in your post is simply great and i could assume you are an
expert on this subject. Fine with your permission allow me to grab your feed
to keep up to date with forthcoming post. Thanks a million and please continue the enjoyable work.
My web blog : online casino slot games