Thursday, April 12, 2007

Arthur e os Minimoys (Arthur et les Minimoys / Arthur and the Invisibles, 2006)


O diretor, roteirista e produtor francês Luc Besson é considerado, por muitos, como o Steven Spielberg da França. Não sei ao certo o por quê dessa comparação, mas um fato inegável é que Besson possui uma obra cinematográfica muito diversa. Ele já mergulhou em dramas densos, como “Imensidão Azul” e “Joana D’arc”; já se aventurou pelo universo da ação em filmes como “O Quinto Elemento” e também trabalhou com as relações humanas em “O Profissional”. Agora, ele embarca no universo infantil, com a aventura fantástica “Arthur e os Minimoys”.

O filme conta a história de Arthur (Freddie Highmore), um menino de dez anos, que tem uma vida extremamente solitária. A sua única companhia é a avó (Mia Farrow), que o cria desde que seus pais o deixaram na casa dela. O passatempo predileto de Arthur é construir engenhocas experimentais, uma característica que ele herdou do avô (Ron Crawford) – que está desaparecido há três anos.

Arthur tem um verdadeiro fascínio pelas histórias que sua avó lhe conta, especialmente sobre aquelas que são protagonizadas pelos Minimoys, pequenos seres que habitam o seu jardim. O espírito aventureiro de Arthur é aguçado quando ele decide partir em busca de um tesouro na terra dos Minimoys para salvar a casa da sua família de ser tomada por um construtor inescrupuloso. A viagem de Arthur acaba sendo também importante para os Minimoys, que terão uma ajuda inestimável na sua luta contra Malthazar (dublado por David Bowie), que quer dominar as terras subterrâneas.

A trama de “Arthur e os Minimoys” faz um apanhado geral dos elementos principais de vários outros filmes. Nela, encontramos traços de “O Mágico de Oz” (no sentido de que, assim como Dorothy, Arthur passará por uma jornada de auto-conhecimento longe de casa), de “Excalibur” (o futuro governante da terra dos Minimoys será aquele (a) que conseguir retirar a espada fincada no solo); bem como referências a filmes como “Pulp Fiction – Tempo de Violência”, na excelente cena de luta que acontece na boate do excêntrico personagem dublado pelo rapper Snoop Dogg.

O grande atrativo de “Arthur e os Minimoys” é o elenco reunido por Luc Besson. Além de Freddie Highmore e Mia Farrow, que aparecem na parte live action do filme; um verdadeiro time de estrelas emprestam a sua voz à parte de animação do filme. Além dos já citados David Bowie e Snoop Dogg, podemos perceber a voz de Madonna, Jimmy Fallon, Robert de Niro, Harvey Keitel, Chazz Palminteri, Emilio Estevez, Anthony Anderson e Jason Bateman. Só deixo um aviso para os pais, cuidado com certas passagens da trama de “Arthur e os Minimoys”, que são um tanto inconvenientes para as crianças.

Cotação: 4,0

Crédito Foto: Yahoo! Movies

4 comments:

Museu do Cinema said...

Adoro o Chazz Palminteri, ele andava bem sumido.

Kamila said...

Cassiano, realmente o Chazz Palminteri andava sumido. Chega eu me surpreendi quando vi o nome dele no elenco desse filme.

Bom final de semana!

Túlio Moreira said...

Puxa, Besson é dos meus cineastas preferidos. Adoro Nikita - ah, aquela cena do jantar!!!!!

Bem, achei a idéia do filme divertida, meio que indo na temática "liquidificador" de Shrek. Mas preciso vê-lo para chegar a maiores conclusões...

Kamila, vc assistiu Maria Antonieta? Vi na semana passada e posso te garantir: é melhor filme do ano até agora!

bjão e ótimo fds!

Kamila said...

Túlio, ainda não assisti "Maria Antonieta" e, sendo bem sincera, nem tenho muita vontade de assistí-lo.

Beijão e bom final de semana!