Tuesday, April 17, 2007

Caixa Dois (2007)


O prólogo do filme “Caixa Dois”, de Bruno Barreto, é bastante importante. É nele em que toda a história da película é definida. De um lado, temos os ricos – e inescrupulosos – Luiz Fernando (Fúlvio Stefanini), o dono do Banco Federal; seu fiel escudeiro, Romeiro (Cássio Gabus Mendes), um cara formado em Harvard; e Carlão (Zedu Neves), especialista em lavagem de dinheiro. De outro, temos aqueles que formam a classe trabalhadora: Roberto (Daniel Dantas), o gerente de uma das agências do Banco Federal; sua esposa Lina (Zezé Polessa), que trabalha como professora; o filho deles Henrique (Thiago Fragoso), estudante universitário; e a namorada deste, Ângela (Giovanna Antonelli), que trabalha como secretária de Luiz Fernando na sede do Banco Federal.

Todos estes personagens se verão envolvidos em uma trama engenhosa, que foi escrita por Márcio Alemão (tendo como base a peça de Juca de Oliveira). Luiz Fernando, Carlão e Romeiro estão armando um esquema para lavar 50 milhões de reais. No entanto, eles precisam de um laranja para o negócio ser concretizado sem maiores suspeitas. Ângela, que tem sonhos de ascensão social, é a pessoa perfeita para a função. No entanto, tudo dá errado quando Romeiro confunde o número da conta corrente da secretária e o dinheiro acaba caindo nas mãos de Lina, uma mulher honesta e trabalhadora, que tem a maior vontade de viver sem se preocupar com as dívidas que só fazem aumentar.

“Caixa Dois” foi uma bem-sucedida peça teatral que estreou em 1997 e ficou em cartaz por seis anos, atraindo um público de quase seis milhões de pessoas. O sucesso da peça aconteceu, pois a sua trama trata de um tema que é recorrente na realidade brasileira: a corrupção. Através de seus personagens, “Caixa Dois” revela aquilo que a gente está cansado de saber pelos jornais, tevês e revistas. Ao mesmo tempo, a trama nos mostra que a honestidade ainda está presente no meio de tanta lama.

A transição de linguagem teatral para linguagem cinematográfica foi feita de maneira competente pelo diretor Bruno Barreto e pelo roteirista Márcio Alemão. “Caixa Dois” é um filme que prende a atenção e que vai crescendo na medida em que a trama do filme vai sendo desenvolvida. Além do roteiro, o ponto alto do filme são as atuações do elenco. Fúlvio Stefanini está excelente como Luiz Fernando. Cássio Gabus Mendes retrata com perfeição os conflitos pelo qual passa Romeiro. Já Daniel Dantas, Zezé Polessa, Giovanna Antonelli e Thiago Fragoso dão um show na pele de personagens que provam que a esperteza popular às vezes vale mais do que diplomas de faculdades conceituadas.

Cotação: 8,0

Crédito Foto: E-Pipoca

17 comments:

Túlio Moreira said...

Quero ver esse filme! Nem que seja pelo trabalho de elenco, já que não confio muito em Bruno Barreto... Mas fico feliz que você tenha gostado, Kamila! Já é sinal de que CAIXA DOIS foge um pouco do lixo brasileiro que está sendo produzido recentemente.

bjão!

(P.S.: Romeika, se você estiver lendo, perdi o link do seu fotolog, então mande again! Bjão!)

Kamila said...

"Caixa Dois" foi uma agradabilíssima surpresa, Túlio. Amei o filme. Muito bom, atual, extremamente bem atuado, com um roteiro ótimo.

Me lembrei de você na hora do trailer, quando vi o preview de "O Homem que Desafiou o Diabo", a próxima obra de seu querido Moacyr Góes.

:-)

Beijo.

Museu do Cinema said...

Esse é um dos piores trailers que já vi em minha vida, não passarei nem perto dos cinemas.

Otavio Almeida said...

Ugh! Vale a pena uma ida ao cinema, Kamila?

Bjs!

romeika said...

Que bom um filme brasileiro que foge do que estava sendo produzido ultimamente... Pela nota, vale a pena uma conferida.

Tulio, vou deixar o endereco lah no seu blog :)

Kamila said...

Otávio, para assistir "Caixa Dois", sim.

Já "O Homem que Desafiou o Diabo", não sei, não... O filme me parece um conjunto de clichês. Mas, eu acho que vou prestigiá-lo nos cinemas, pois o filme é baseado no livro de um autor natalense e foi filmado aqui em meu Estado.

Museu do Cinema said...

É mesmo Kamila? Caixa Dois vale a pena?

Kamila said...

Vale sim, Cassiano. O filme é bom mesmo. Fui surpreendida.

Museu do Cinema said...

Bom, ainda tenho alguns filmes na frente e tempo escasso, de qualquer maneira fica a sua dica.

Túlio said...

Kamila, nem me fale em Moacyr Góes que já me vem um monte de xingamentos na cabeça, huiauiauiauiauiauai

bjão!

Kamila said...

Túlio: :-)

Beijo.

Túlio Moreira said...

Ah, Kamila... (suspiros)

às vezes fico imaginando os filmes que eu faria se tivesse os contatos e a grana do sr. Góes...

Ele é um atraso para o cinema brasileiro, run!

bjão e bom feriado!

Kamila said...

Quem sabe, Túlio, um dia você não tenha esses contatos e a grana para fazer filmes que o Sr. Moacyr Góes possui??

Beijo e bom final de semana!

Alex Gonçalves said...

Muitos apostavam no bom êxito do filme nas bilheterias, mas me parece que a distribuidora não arriscou muito na produção. Estava agendando para ver neste último sábado, mas ele já havia saido de cartaz. Se houver uma reestréia, verei sem medos, pois a história parece ser muito interessante e engraçada.

Kamila said...

Alex, fico surpresa de saber disso. Aqui em Natal, o filme continua em cartaz.

Alex Gonçalves said...

Mesmo que a rede Cinemark da minha cidade tenha exatas dez salas (um número muito relevante), a porcentagem esmagadora de novas estréias nas últimas semanas deve ter roubado o espaço de "Caixa Dois". Pobre dos filmes que vão lutar por espaço quando "Homem Aranha 3" for exibido pelo Brasil...

Kamila said...

Pobre mesmo dos filmes que vão lutar contra "Homem-Aranha 3", Alex. O Cinemark e o Moviecom, que possuem salas de cinema aqui em Natal, continuam com "Caixa Dois" em cartaz.