Tuesday, December 18, 2007

Anatomia de um Crime (Anatomy of a Murder, 1959)

“Doze pessoas entram em uma sala: doze mentes diferentes, doze corações diferentes, de doze diferentes fases da vida; doze pares de olhos, ouvidos, formas e tamanhos. E estas dozes pessoas são colocadas para julgar outro ser humano completamente diferente deles na medida em que eles mesmos são diferentes uns dos outros. E, no julgamento deles, eles devem se tornar uma só mente – unânime. É um milagre da alma desorganizada do homem que eles consigam fazer isso e, na maioria dos casos, fazem certo. Deus abençoe os jurados”.

Esta frase, dita nos momentos finais do filme “Anatomia de um Crime”, do diretor Otto Preminger, pode enganar bastante, já que, para a trama de Wendell Mayes (baseada num livro de John D. Voelker), os personagens mais importantes não são os jurados; e sim aqueles que estão do outro lado da lei: os promotores, o advogado de defesa, o cliente e sua esposa.

“Anatomia de um Crime” acompanha a história de Paul Biegler (James Stewart), um advogado que vive em apuros financeiros, e que é procurado por Laura Manion (Lee Remick), a bela esposa do Tenente Frederick Manion (um jovem Ben Gazzara). Laura quer que Biegler defenda seu marido do crime de assassinato. Mas, o advogado só vai entrar no caso assim que conhecer direitinho as circunstâncias por trás dele – e é assim que ele se vê envolvido no meio de sórdidas relações humanas em que tudo é ambíguo e nunca fica clara a existência da inocência ou da culpa.

Para um “filme de tribunal”, “Anatomia de um Crime” tem uma duração bastante longa (160 minutos), mas, em nenhum momento, o filme cansa o espectador. O roteiro de Wendell Mayes, que é engenhoso e repleto de revelações interessantes, nunca nos deixa perder o foco do que é mais importante no filme de Otto Preminger: todos os acontecimentos que levam ao momento crucial, ali no tribunal, em que testemunhas de defesa e de acusação delineiam todos os passos que levaram ao crime.

Além do roteiro de Wendell Mayes, outros pontos que se destacam em “Anatomia de um Crime” são a direção do alemão Otto Preminger (cujos trabalhos mais conhecidos são o suspense “Laura” e o musical “Carmen Jones”, que marcou época em Hollywood por ser um dos primeiros filmes completamente estrelados por um elenco negro – o qual revelaria Dorothy Dandridge, que viria a ser a primeira atriz negra a ser indicada ao Oscar de Melhor Atriz, justamente por sua performance neste filme) e a atuação de James Stewart, um ator especializado nestes tipos honestos e que se vêem no meio de grandes crises.

Cotação: 9,5

Anatomia de um Crime (Anatomy of a Murder, EUA, 1959)
Diretor(es): Otto Preminger
Roteirista(s): Wendell Mayes
Elenco: James Stewart, Lee Remick, Ben Gazzara, Arthur O'Connell, Eve Arden, Kathryn Grant, George C. Scott, Orson Bean, Russ Brown, Murray Hamilton, Brooks West, Ken Lynch, John Qualen, Howard McNear, Alexander Campbell

10 comments:

Wally - Cine Vita said...

Esse é um dos muitos filmes que eu perdi do especial da TCM...uma pena. Entre eles estão Intriga Internacional, Lawrence da Arábia, King Kong e esse aí. Ótimo texto, me deixou mais intrigado no filme. Vou tentar procurá-lo depois.

Kamila said...

Wally, eu estou até conseguindo acompanhar bem o especial do TCM, que tem me dado a oportunidade de assistir a filmes que eu nunca poderia encontrar facilmente em locadoras locais, por exemplo. "Anatomia de um Crime" é um filmaço e eu espero que você consiga assistí-lo.

Museu do Cinema said...

Sensacional Kamila, quando ouço falar desse filme só lembro do cartaz genial.

Clássico mesmo! Ótima resenha!

Rogerio said...

Grande Kamila, dando presente de Natal pros Blogueiros que pediram a resenha desse filme, ebaaa!!

Já queria ver esse filme ha muito tempo, e nao pude ver na TCM tb. Mas sua resenha e nota me fazem ir a luta por ele.O James Stewart é ótimo em todas as suas participaçoes.

Alias, nada como postar um filmão antigo pra subir a média das notas né, hehe;
Teh mais!

Vinícius P. said...

Não sou muito de filmes clássicos, é certo, mas sempre tive vontade de conferir "Anatomia de um Crime". Acho bem difícil encontrar em DVD (se é que tem), mas ainda assim irei procurar.

Abraço!

Otavio Almeida said...

Filmaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço!!!! Só discordo da nota. É 10!

Bjs!

Kamila said...

Obrigada, Cassiano. O cartaz e os créditos iniciais desse filme são sensacionais.

Rogerio, esse especial de final de ano da TCM está dando show. É filme bom atrás de filme bom. A chance de poder ver esses clássicos e relembrar uma época em que o cinema era feito como uma arte maiúscula.

Vinícius, adoro filmes clássicos e recomendo que você assista ao filme.

Otavio, sem problemas. :-)

Beijos.

Anonymous said...

Ponto de interesse: Lana Turner ia fazer o papel da mulher de Ben Gazzara. Nao lembro agora se ela se desentendeu com o Preminger ou se teve problemas com o vestuario. Acabou saindo da producao e entrou a Lee Remick.

"Anatomia de um Crime" causou uma certa sensacao por causa do assunto, envolvendo dialogos/situacoes ligadas ao sexo e referencias a roupa intima, que na epoca ainda eram tabu.

andre said...

Esqueci de dizer que "Anatomia" foi um grande sucesso de bilheteria. E ajudou o "Production Code" a ficar ainda mais enfraquecido.
Preminger ja tinha comecado a lutar contra o PC (que probibia sexo, etc.) em 1953, com "The Moon Is Blue," quando a palavra "virgem" foi utilizada pela primeira vez no cinema americano em pelo menos duas decadas.

Kamila said...

André, a Lee Remick está ótima no papel da esposa do Ben Gazzara. E eu acho que essas piadas com teor sexual, hoje em dia, nem têm muita graça, mas imagino o furor que causou naquela época.

Muito interessante seus comentários. Obrigada!