Tuesday, May 27, 2008

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (Indiana Jones and the Kingdom of the Crystal Skull, 2008)

Mais do que um competente professor e arqueólogo, Henry Jones Jr. (Harrison Ford), o qual é mais conhecido como Indiana Jones, poderia ser definido como um homem de muita sorte. Afinal, durante suas jornadas ao redor do mundo em busca de artefatos raros, ele enfrentou – com muita coragem e algum afobamento, diga-se de passagem – um verdadeiro exército de inimigos e conseguiu sair somente com alguns arranhões de todos esses encontros.

Na cena de abertura de “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”, a aguardada quarta aventura protagonizada pelo personagem, encontramos Indy no ano de 1957 (ou seja, no meio da Guerra Fria). Ao lado do parceiro George “Mac” McHale (Ray Winstone), ele é prisioneiro dos soviéticos – que estão sob a liderança da Dra. Irina Spalko (Cate Blanchett). Após uma grande cena de ação, Indiana consegue escapar ileso e pronto para começar mais um novo capítulo de sua história.

Os soviéticos e Indiana Jones estão interessados numa mesma coisa: uma caveira de cristal que indica o caminho para uma cidade escondida, a qual, por sua vez, guarda a chave para o conhecimento pleno. Indy acaba entrando nessa busca graças ao convite que lhe é feito pelo impetuoso jovem Mutt Williams (Shia LaBeouf). Acontece que a mãe de Mutt, a velha conhecida do arqueólogo Marion Ravenwood (Karen Allen), e um amigo de Indiana, o professor Oxley (John Hurt), foram presos pelos soviéticos e eles precisam resgatá-los.

Assim como aconteceu nos outros filmes da série, “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” se destaca pelo primor técnico – prestem atenção ao detalhe do trabalho da direção de arte e de figurinos. Além disso, o diretor Steven Spielberg mostra toda a sua competência nas excelentes cenas de ação e na boa direção que faz do ótimo grupo de atores que conseguiu reunir para o projeto. No entanto, o longa tem um defeito que acaba sendo enorme: a trama escrita por David Koepp com base na história desenvolvida por George Lucas e Jeff Nathanson nunca chega a decolar. Ou seja, o filme não consegue empolgar a platéia.

Cotação: 7,0

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (Indiana Jones and the Kingdom of the Crystal Skull, EUA, 2008)
Diretor(es): Steven Spielberg
Roteirista(s): David Koepp (com base na história de George Lucas, Jeff Nathanson)
Elenco: Harrison Ford, Cate Blanchett, Karen Allen, Shia LaBeouf, Ray Winstone, John Hurt, Jim Broadbent, Igor Jijikine, Dimitri Diatchenko, Ilia Volok, Emmanuel Todorov, Pavel Lychnikoff, Andrew Divoff, Veniamin Manzyuk, Alan Dale

23 comments:

Robson Saldanha said...

Me recuso a ver enquanto eu num tiver visto, ou revisto, os três primeiros!

Matheus Pannebecker said...

Kamila, nem tenho expectativas para esse filme, até porque não vi os anteriores. Mas mesmo assim pretendo assisti-lo em uma sessão descompromissada =)

Otavio Almeida said...

Então.................. Eu até fiquei com essa sensação quando vi no dia 22. Sobre o roteiro... Embora eu tenha gostado do filme, etc. Mas então lembrei que o roteiro de O TEMPLO DA PERDIÇÃO também não é um primor... Mas não vi como um problema. Não num filme desses.

Mas aí vi O REINO DA CAVEIRA DE CRISTAL pela segunda vez e curti muito a história. Até mesmo porque sou fã de ficção científica. Embarquei de vez na trama da Caveira de Cristal. Mas na segunda vez em que assisti ao filme. Saí levinho do cimema. Sem a pressão da estréia.

Acho que a estrutura do roteiro é a mesma de OS CAÇADORES DA ARCA PERDIDA, que não tem o espetáculo de ação proposto por O TEMPLO DA PERDIÇÃO e A ÚLTIMA CRUZADA. Aliás, o final anti-clímax é no mesmo padrão de CAÇADORES.

Enfim, adorei. Não é o meu favorito da série, mas adorei. Acho que Hollywood deveria rever a qualidade de seus blockbusters. Viva Spielberg! Viva Indy!

E eu perdôo você, Kamila!

Bjs!

Kamila said...

Robson, antes de assistir a este novo filme, vi pela primeira vez a trilogia "Indiana Jones" e acho que você faz o certo mesmo!

Matheus, eu também não tinha expectativas em relação a este filme. Se você vai vê-lo como uma sessão descompromissada, deve ficar satisfeito.

Otavio, concordo que o filme remete muito aos Caçadores da Arca Perdida, mas, mesmo assim, é um filme menor do Indiana Jones. O roteiro é fraco, mas todo o resto é muito bom.

E obrigada por perdoar e por, acho, entender meu ponto de vista sobre o filme.

Beijos!

Otavio Almeida said...

Claro, claro... Só não perdôo o erro no nome dele, né? É Henry Jones Jr. e não Henry James Jr. Mas tudo bem... :)

Bjs!

Kamila said...

Foi mal, Otavio! Erro de digitação! Obrigada por avisar! :-)

Beijos!

Museu do Cinema said...

Acho que sou o último a ver esse filme...e por enquanto assim o serei.

G. said...

Adorei a crítica!! Quero muito assistir ao filme, apesar de não ser um grande fã de Indiana Jones, mas vale a pena conferir!!
Beijosss
Adorei teu blog, vou add lá nos meus favoritos!!

Beijos,
G.

Luciano Lima said...

Como vc leu no meu blog, eu adorei esse filme. Concordo com você quanto ao roteiro não ser dos melhores, mas pra mim o maior problema foi o exagero nos efeitos especiais, não era necessário aquilo tudo. Enfim, gosto demais da trilogia e este não foge tanto a proposta, mas não chega a atingir o nível dos outros.

Abraço! ^^

Louis Vidovix said...

Estou enrolando pra ver mas devo conferir mt em breve! Adoro a série Indiana Jones e estou esperando um filme pipoca de qualidade! :)

Viníciu P. said...

Ainda não vi esse filme, mas nem estou com tantas expectativas para não me decepcionar. Se gostar do resultado tanto quanto você, acredito que ao menos será um filme divertido. Abraço!

Johnny Strangelove said...

Percebi algo curioso, foi nesse filme, I'm Not There e Zodiaco, no qual você gosta do filme porém sabe que tem algum elemento que você sentiu falta ... mas sua nota foi justa apesar de achar que o roteiro foi fraco ...

mas ser verdadeira é o que mais importa ... abraços

Pedro Henrique said...

Direção de arte e figurino, muito bom. Direção, boa. Atuações do elenco, satisfatória. Roteiro, sem graça, mas não precisa ser muito bom. Cenas de ação, muito boas. Mais uma grande aventura de Indiana Jones, excelente.

7.5

Abraço!!!

Marcel Gois said...

Ainda não vi. Já até me convidaram mas eu quero antes assistir os outros três. Queria seguir a ordem, vou tentar fazer uma maratana de Indiana Jones, será que aguento? =p

Isabela said...

Ainda não tive tempo, mas estou inquieta para assisti-lo breve. Anotadissimo na minha listinha aqui!

Rogerio said...

Entao Kamila, as cenas de fuga e perseguiçao sao a cara do Spielberg e do Indiana.A parte técnica perfeita, mas era de se esperar.

Logo, o filme nao trouxe nada de novo, ao contrario de seus irmaos mais velhos.
O excesso de cenas comicas atrapalhou tb, tal qual os castores(ou seja lá o que for aquilo) ou o "Tarzan" do Shia.

Enfim, o roteiro é fraco, o tempo passou e hoje nao nos surpeendemos mais com qualquer coisa.
Minha nota é 5,0.
Bjao.

Sérgio Déda said...

Estou empolgado para assistir o novo Indy..

Mesmo que não venha recebendo tão boas críticas, irei vê-lo logo com certeza..

vlws

Wall said...

Faço minha as palavras do Otavio. Adorei o filme! Um problema aqui ou alí, mas tudo perdoável. Entretenimento sensacional.

Nota 8,5

Ciao!

Kamila said...

Cassiano, este não é aquele filme imperdível. Então, acho que sua decisão é a mais correta mesmo.

G., se você não é muito fã de "Indiana Jones", é bem capaz de ter uma opinião parecida com a minha, já que "O Reino da Caveira de Cristal" parece ter sido feito especialmente para os fãs do personagem.

Luciano, realmente, o Spielberg usou muitos efeitos especiais. Esse aspecto era menor nos outros filmes e é até uma mudança bastante significativa.

Louis, então, você se sentirá satisfeito com esse filme.

Vinícius, eu também fui sem muitas expectativas, e achei uma obra divertida, porém com falhas.

João, exatamente!

Pedro, pelo que vejo, é outro fã do personagem! :-)

Marcel, aguenta, sim. Eu fiz isso antes de assistir à quarta aventura do Indy.

Isabela, então, aguardo sua opinião sobre o filme.

Rogerio, você é mais rigoroso que eu, mas concordo com muito do que disse.

Sérgio, aguardo sua opinião sobre o filme.

Wally, você é outro fã do personagem!!! :-)))

Otavio Almeida said...

Eu acho que o filme é imperdível sim, Kamila. INDY é um ícone do cinema. É obrigação dos cinéfilos ir ao cinema. Gostar ou não... aí é outra coisa.

Para mim, a crítica negativa deve partir de um ponto justo: Indy continua o mesmo. O problema é que os fãs mais fiéis cresceram. Então, ainda há espaço para um filme à moda antiga?

Bjs!

Kamila said...

Otavio, me desculpe pelo mau uso das palavras. Indy é um ícone do cinema e qualquer filme dirigido por Steven Spielberg é imperdível. Não acho que há espaço para um filme à moda antiga nos dias de hoje. Pelo menos não um filme como Indy, que sempre teve efeitos especiais legais, porém isso era um segundo plano nos filmes da série. O que me incomodou profundamente neste novo filme foi a narrativa acelerada. Não tínhamos tempo para respirar e aproveitar o filme.

Beijos!

Red Dust said...

Este novel Indy não deslustra ou desrespeita a sua pesada herança. Até por isso, tal o embate, é merecedor de crédito.

São duas horas bem passadas vendo um Indy que está mais velho, mas que disfarça bem. Que o diga Mutt... :)

8/10.

Kamila said...

Red Dust, o filme é entretenimento bom, sim, mas poderia ser melhor, não acha? ;-)