Friday, May 02, 2008

Margot e o Casamento (Margot at the Wedding, 2007)

Já virou um clichê do cinema. Toda vez em que um personagem principal de um filme volta para casa é sinônimo de que ele está passando por uma fase complicada em sua vida. O retorno às origens serve até mesmo como um propósito para que o personagem se conecte novamente consigo mesmo e possa obter aquilo que queria ao regressar ao lar: a possibilidade do recomeço. O longa “Margot e o Casamento”, do diretor e roteirista Noah Baumbach, apesar de seguir um chavão desses, nos surpreende ao mostrar alguém que não quer iniciar uma nova jornada, e sim ter coragem para seguir no caminho que já conhece.

De uma certa maneira, Margot (Nicole Kidman), lembra muito Joan Berkman (Laura Linney), a personagem principal de “A Lula e a Baleia”, filme anterior de Noah Baumbach. As duas são mulheres de intelecto privilegiado. Trabalham com o ato de escrever e são casadas com homens do mesmo campo profissional. Com os filhos, tentam levar um relacionamento moderno. Ou seja, elas são adeptas daquele estilo de que se deve adotar o máximo de sinceridade com as crianças. Nenhum assunto é tabu entre eles.

Quando encontramos Margot na primeira cena de “Margot e o Casamento”, ela está viajando de trem com o filho Claude (Zane Pais). Os dois estão a caminho da cidade natal dela, mais precisamente para a casa aonde ela cresceu. É lá que vive Pauline (Jennifer Jason Leigh, que foi indicada ao Independent Spirit Awards 2008 de Melhor Atriz Coadjuvante pela sua performance neste filme), uma das irmãs de Margot. Elas não se falam há algum tempo, mas isso não impediu que Margot fosse convidada – e aceitasse participar – do casamento de Pauline com Malcolm (Jack Black), um homem com muito senso de humor, porém nenhum plano concreto de vida.

É a partir do reencontro entre as duas irmãs que o roteiro de Noah Baumbach aborda um território que também foi encarado em “A Lula e a Baleia”: os das famílias cheias de imperfeição. No caso particular de “Margot e o Casamento”, os problemas familiares nos são revelados através da inconstância emocional vivenciada por Margot e Pauline, que, uma hora, se amam e confiam uma na outra; e, na outra, se odeiam e querem distância completa. No meio dessa tempestade de sentimentos, temos (de novo) duas crianças – além do já citado Claude, encontramos Ingrid (Flora Cross), a filha de Pauline – que estão naquele momento crucial da formação da personalidade.

Como já foi mencionado algumas vezes durante o texto, são inúmeras as semelhanças entre esse “Margot e o Casamento” e o filme “A Lula e a Baleia”. Além dos elementos presentes na narrativa, podemos perceber que os pontos mais fortes dos dois filmes se encontram no ótimo elenco. Se, em “A Lula e Baleia”, Laura Linney e Jeff Daniels deram um verdadeiro show; em “Margot e o Casamento”, Nicole Kidman e Jennifer Jason Leigh oferecem performances inspiradíssimas. O elemento que destoa aqui é o roteiro de Noah Baumbach. O filme é construído em cima de muitos diálogos e os mesmos fazem com que “Margot e o Casamento” seja uma verdadeira volta de montanha russa, assim como as muitas mudanças de humores das suas duas personagens principais.

Cotação: 6,3

Margot at the Wedding (Margot at the Wedding, EUA, 2007)
Diretor(es): Noah Baumbach
Roteirista(s): Noah Baumbach
Elenco: Zane Pais, Susan Blackwell, Nicole Kidman, Jack Black, Flora Cross, Jennifer Jason Leigh, Seth Barrish, Matthew Arkin, Michael Cullen, Enid Graham, Sophie Nyweide, Justin Roth, Ciarán Hinds, Halley Feiffer, Joanthan Scwartz

28 comments:

Hugo said...

Em "A Lula e a Baleia" o diretor Baumbach nos apresenta a personagens que estão sem rumo na vida, apesar de terem educação e talento, isto não foi suficiente para serem felizes.

Pelo jeito aqui ele segue um caminho parecido.

Até mais.

Kamila said...

Hugo, exatamente. Ele continua tocando nos mesmos temas nesse 'Margot e o Casamento'.

Um bom final de semana!

Rogerio said...

Puxa, nem sabia desse trabalho da Nicole. Mas essa coisa da volta pra casa, é chatinha mesmo.
Pretendo ver pela Nicole;
Bom findi Kamila:-)

Vinícius P. said...

Acho que o fato principal para que eu gostasse tanto desse filme foi que não esperava nada dele. "A Lula e a Baleia" é um ótimo filme, mas não pensava que o Baumbach tivesse um resultado ainda melhor nesse "Margot". Além do roteiro do diretor, acho que merecia indicação ao Oscar de melhor atriz para a Nicole. Abraço!

Kamila said...

Rogerio, se você gosta da Nicole, irá ficar muito satisfeito com esse filme, porque ela está ótima nele.

Vinícius, ao contrário de você, esperava muito de "Margot" justamente por ter adorado "A Lula e a Baleia". A Nicole e a Jennifer mereciam uma atenção melhor dos prêmios. Discordo do roteiro, que achei inconstante demais.

Kamila said...

E bom final de semana para os dois! :-)

Rodrigo Fernandes said...

Kamila, acho que apesar da sua nota e dos cliches apontados eu esotu esperançoso em ver esse filme e sair satisfeito, normalemtne dramas familiares não tem muto erro no quesito de agradar, mesmo que existam falhas... o elenco é bom e forte... mas aparenta ser meio alternativo, indepedente, mesmo com o elenco estrelar, jáq ue nãos e ouve falr muto desse filme e nem teve uam distribuição boa aqui no Brasil pelos cinemas...
pretendo ver, sim, mas sem grandes pretensões...
beijos e um ótimo final de semana...

Kamila said...

Rodrigo, realmente, é muito difícil não gostar de filmes como esse. "Margot e o Casamento" conta com grandes atuações. Aguardo sua opinião sobre ele.

Beijos e bom final de semana!

Marcel Gois said...

Eu adorei "A Lula e a Baleia"! Ainda não assisti "Margot e o Casamento" mas agora estou mais curioso ainda pra assistir!
Além de tudo isso, gosto da Nicole.

xD

bju

Otavio Almeida said...

Estou doido pra ver. Depois disso, eu volto aqui e leio sua crítica.

Bjs! Bom fim de semana!

Wally said...

Eu adorei A Lula e a Baleia, e são semelhantes sim. Só que a direção de Margot é bem inferior da de Lula. Mas é compensado pelo fantástico roteiro, personagens excepcionais e atuações conquistadoras. Kidman ta 10!

Nota 8,0

Ciao!

Kamila said...

Marcel, também gosto da Nicole e de "A Lula e a Baleia". Por isso, foi quae obrigatório assistir a este "Margot e o Casamento".

Otavio, aguardo sua opinião, então.

Wally, realmente, a direção de "Margot" é inferior a de "A Lula". Achei o roteiro também mais fraco, porém as atuações são sensacionais.

Beijos!

Miojo said...

Kamila, não gostei muito da Lula e a Baleia, e essa sua nota não me animou muito também haha.
Mas estou interessado em ver esse filme. Gosto da Nicole, e pode ser que eu me surpreenda. Muito diálogo me atrai =)

E como ficou o Homem de Ferro, já foi assistir? Não deixa de comentá-lo lá no Cara da Locadora, nem aqui no seu blog =)
Abraços!

Romeika said...

Kamila, eu nao gostei muito de "A Lula e a Baleia", acho que nao entendi o estilo do diretor de contar suas historias... Mas apesar das semelhancas, pensei que esse filme seria diferente na narrativa. Quer dizer que o roteiro eh muito inconstante, nao define um caminho a ser seguido?

Robson Saldanha said...

Já li outras críticas deste filme. Não me interessou tanto!

Kamila said...

Miojo, a Nicole está ótima em "Margot" e acho que você irá gostar do filme. Já assisti "Homem de Ferro" e adorei!!! Muito divertido. Irei comentar o filme nesta semana mesmo.

Romeika, o roteiro é inconstante no sentido de que alterna bons e maus momentos.

Robson, é um tipo de filme que não interessa mesmo a todo mundo.

Pedro Henrique said...

Ainda não vi "Margot e o Casamento" mas gostei da ligação com A Lula e a Baleia.

Bom final de domingo!

Ibertson Medeiros said...

Nicole Kidman só vinha participando de bombas recentemente e parece que agora ela mudou seu rumo novamente, como parece demonstrar esse filme e Australia, que está para chegar.
Gostei da trama desse filme e não vi nem ele, nem A Lula e a Baleia.

Vulgo Dudu said...

Ai, que saco esses filmes sobre volta pra casa e recomeço... rs... Eu não tenho paciência para isso, não!

Bjs!

Grazie said...

Olá Kamila
Eu adorei a Lula e a Baleia, mas não concordo com a comparação que tu fez entre os dois personagens femininos.
O de Laura me parece mais bem resolvido, no meio de toda aquela gente maluca e desequilibrada.
O de Nicole, em Margot, é uma completa psicopata, que abusa emocionalmente de todos a sua volta. E além, ou apesár disso é miseravelmente infeliz.
Amei o filme

Kamila said...

Pedro, mas "A Lula e a Baleia" é um filme melhor que "Margot".

Ibertson, pois então assista aos dois filmes juntos.

Dudu, eu adoro filmes com tramas assim. Mas, entendo quem está cansado de filmes como esse. :-)

Grazie, isso que você falou é verdade. A personagem da Laura Linney é completamente bem resolvida. A da Nicole não o é. E discordo de você num ponto: não sei se a personagem Margot é uma completa psicopata.

Marcus Vinícius said...

Eu ainda nem vi Lula e a Baleia... =/
Mas filmes da Nicole sempre chamam atenção mesmo.

Beijo!!!

Kamila said...

Marcus, a Nicole é uma favorita dos blogueiros cinéfilos!!!!

Beijos!

Rafael Carvalho said...

Não quero ler muita coisa antes de assistir ao filme, principalmente porque tenho boas expectativas sobre esse mais novo trabalho do Baumbach. Gosto muito de seu filme anterior, A Lula e a Baleia, e o elenco dessa nova produção promete. Espero assisti-lo em breve.

Isabela said...

Enfim alguem que concorda comigo e não conseguiu digerir muito bem esse filme. Amei as atuações, mas fora isso, tem algumas coisas que deixa a desejar!

Kamila said...

Rafael, se não assistiu ao filme, é melhor nem ler mesmo. Depois quero ver o que achou de "Margot".

Isabela, exatamente!!!!

Kau Oliveira said...

Kamila, antes queria dizer que seu blog é perfeito.

Vc já sabe o que achei deste filme. O roteiro já foi concebido com problemas, porém, ainda assim, o filme ficou bem interessante. Nada de ótimo, somente bom; mas que tem algo que chama atenção isso tem. Talvez seja a excelente atuação de Kidman ou a sensacional de Jennifer Jason Leigh.

Kamila said...

Kau, obrigada!!!

Acho que as atuações de Nicole Kidman e Jennifer Jason Leigh são os elementos mais legais desse filme. O roteiro é muito irregular e a direção boa.