Monday, July 03, 2006

Carros (Cars, 2006)


O diretor John Lasseter foi um dos grandes responsáveis pela ascensão dos estúdios Pixar na área de animação. Afinal de contas, foi criação dele o primeiro longa-metragem de animação bem-sucedido do estúdio: “Toy Story”, que foi lançado em 1995 e cuja continuação “Toy Story 2” foi lançada em 1999. Depois de passar um tempo gerenciando a Pixar e cuidando do complicado contrato da companhia com os estúdios Disney, Lasseter volta à direção de um longa de animação com “Carros” (trabalho este que ele divide com o co-diretor Joe Ranft), filme que trata de assuntos próximos ao coração dele como o amor pelos carros e pela Rota 66 (clássica freeway dos Estados Unidos que foi eternizada no livro “On the Road”, de Jack Kerouac).

Relâmpago McQueen (dublado na versão original por Owen Wilson) é um carro de corridas da Piston Cup (uma espécie de Nascar Cup). Estreante na competição, Relâmpago ameaça o legado de The King (dublado por Richard Petty na versão original), que faz a sua última participação na Piston Cup; e as ambições de Chick Hicks (dublado por Michael Keaton na versão original), o eterno vice-campeão da Piston Cup. Como todo piloto novato, Relâmpago ainda não aprendeu a trabalhar em equipe e acredita que seu sucesso só acontece porque ele é um piloto muito competente.

No caminho para a corrida que irá decidir o futuro campeão da Piston Cup, Relâmpago McQueen acaba se perdendo no meio da Rota 66 e vai parar em Radiator Springs, uma cidade em decadência desde que uma nova freeway foi aberta desviando, assim, o caminho dos passantes que sustentavam o comércio local (um posto de gasolina, uma borracharia, um hotel, uma lanchonete, uma loja de bugigangas, uma oficina mecânica, entre outros estabelecimentos). Com a tarefa de reasfaltar a estrada principal de Radiator Springs, Relâmpago acaba entrando em contato com o dia-a-dia dos moradores da cidade e passa a fazer de tudo para trazer a vida de volta à localidade.

Como em todos os outros filmes de animação, “Carros” oferece uma mensagem aos pequenos – sem esquecer de fazer referências que agradem aos papais (como o amor de um dos moradores de Radiator Springs pelos carros da Ferrari). Usando o ambiente competitivo das corridas de automóveis, John Lasseter e os muitos roteiristas de “Carros” mostram que nem sempre vale a pena fazer de tudo para vencer. O importante é manter sempre por perto os amigos e os bons valores. Na empreitada atual dos estúdios Pixar (que passaram a controlar todo o setor de animação dos estúdios Disney, o qual um dia já deu as cartas no setor), essa é uma mensagem que eles deveriam levar ao pé da letra.

Cotação: 6,5

Crédito Foto: Yahoo! Movies

5 comments:

FeliPeixe said...

Acho que foi o filme mais "fofo" que assisti de animação até agora.. Hehe. bjs

Kamila said...

Mais fofo do que "Procurando Nemo"??? Ah, eu não concordo não! Vai ver você acha esse filme fofo porque é um garoto; e garotos são apaixonados por carros. Nós, garotas, nos sensibilizamos mais com outras histórias! ;-)

Beijos!

Anonymous said...

É Kamila... Realmente, vc ganhou: Nemo é o mais "fofo". Tanto é que eu escrevi "acho" no início da frase, hehehe. Nao estava lembrado do peixinho (que falta de consideração a minha!). Mas a moral da história de Carros também é muito boa, como todas dos filmes de animação. Bjs!

FeliPeixe said...

É Kamila... Realmente, vc ganhou: Nemo é o mais "fofo". Tanto é que eu escrevi "acho" no início da frase, hehehe. Nao estava lembrado do peixinho (que falta de consideração a minha!). Mas a moral da história de Carros também é muito boa, como todas dos filmes de animação. Bjs!

Kamila said...

Exato, Felipe! Logo você se esquecer do filme do peixinho! :-)

Isso não pode!

Beijos!