Wednesday, August 02, 2006

Bandidas (2006)


Sara Sandoval (Salma Hayek), como toda jovem rica, é uma pessoa pedante e mimada. Filha do dono de um banco, ela está de volta à sua pequena cidade do México depois de dez anos estudando na Europa. Maria Alvarez (Penélope Cruz), ao contrário, é uma jovem pobre e que só entende dos assuntos do campo (ofício que aprendeu ao ajudar seu pai nos cuidados com a fazenda da família). Maria compensa a sua falta de educação com muita malícia e malandragem para lidar com os obstáculos do dia-a-dia.

Estas mulheres tão distintas são as protagonistas do filme “Bandidas”, dos diretores Joachim Roenning e Espen Sandberg, e irão se juntar para derrubar um plano que tem arruinado as vidas dos habitantes da cidade mexicana aonde as duas moram. O Sr. Jackson (Dwight Yoakam, que rouba a cena toda vez em que aparece) é o representante de um banco de Nova York que aparece na cidade de Sara e Maria para tomar as terras dos habitantes que estão devendo dinheiro ao banco local. As terras desapropriadas serão utilizadas para a construção de uma ferrovia. Na sua jornada pessoal, o Sr. Jackson não aceita um não como resposta e quem se coloca no caminho dele (como é o caso dos pais de Sara e Maria) pode acabar seriamente machucado ou até morto.

Por mais que sejam diferentes, Sara e Maria possuem personalidades que se complementam e é justamente a mistura das duas que irá se sobressair quando, juntas, elas decidem assaltar os bancos representados pelo Sr. Jackson; repassando, dessa maneira, o dinheiro para que a população possa saldar as suas dívidas e recuperar as suas terras. Mas se engana quem pensa que “Bandidas” é um filme que exalta o girl power. Pelo contrário, o roteiro do francês Luc Besson (que também produz o filme) e Robert Mark Kamen aproveita a união de Sara e Maria para difundir todos os conceitos que os homens possuem em relação às mulheres. A amizade que nasce entre as duas é cheia de rivalidade, ciúme e inveja (ainda mais quando entra em cena o perito em ciências criminais interpretado por Steve Zahn). “Bandidas” assume de vez o seu lado de “filme para garotos” quando se aproveita dos figurinos apertados para valorizar os atributos físicos de Salma Hayek e Penélope Cruz e quando insere Sara e Maria numa disputa pela atenção de um homem (a qual é marcada por uma desnecessária guerra de beijos).

Em certos momentos, “Bandidas” lembra muito os filmes do diretor Robert Rodriguez (especialmente “El Mariachi”, “A Balada do Pistoleiro” e “Era uma Vez no México”). Estão lá no filme a trilha baseada nas músicas típicas mexicanas, a fotografia que explora as cores fortes, a presença das mulheres sensuais e, principalmente, a sensação de justiça que é trazida pela vingança. No entanto, essa é somente uma grande impressão, pois os diretores Joachim Roenning e Espen Sandberg não têm metade do talento de Rodriguez. No final, “Bandidas” é somente uma cópia mal feita de um produto de melhor qualidade.

Cotação: 3,5

Crédito Foto: Yahoo! Movies

11 comments:

Romeika said...

bote cópia mal feita nisso! hehehe afff..filme trash da bexiga..Adorei o 'guerra de beijos desnecessária', completamente...Muito ruinzinho hehehe..e vc gostou do cara que interpreta o vilão??? Pq??
Podre esse filme:p

Kamila said...

Adorei o Dwight Yoakam. Achei que ele foi, provavelmente, uma das melhores coisas do filme. Ele incorporou bem o estilo do filme. Ficou perfeito e divertido!

FeliPeixe said...

Ou Kamila, eu gostei do filme... Hehehe.. Mas considere q nao sou nenhum estudado em cinema como vc :P

FeliPeixe said...

Ei, coloca aí 1 crítica sobre Zuzu Angel, to doido p assistir, pense num filme esperado por mim! Bjs

Kamila said...

Irei assistir "Zuzu Angel" amanhã, Felipe. Passa por aqui depois que você verá meu comentário sobre o filme.

Eu também estou bem ansiosa para ver este filme e espero que ele cumpra as nossas expectativas!

Beijos!

Romeika said...

Kamila, vc vai amar Zuzu Angel, ouvi dizer que é o Olga de sérgio Resende rsrs..(é esse o diretor?)
Ei, mulher, vc deveria colocar críticas de seriado de tv nesse blog, sei lá, fazer um blog cultural, não só de cinema..pq..porra..ontem pensando em tudo que vc me disse sobre desperate housewives..concordei completamente, e abri os olhos para o desastre que essa série se tornou na segunda temporada=/
Totalmente novelão mexicano mesmo..kd a comédia?? Vc só fica naquela expectativa, e nada de bom acontece, só tragédia e mais e mais conflitos familiares..afffff Mulher, vc andou lendo as coisas pela net, ou vc virou adivinha?? Tudo que vc disse aconteceu!! *SPOILER* Gabrielle tomou a tal atitude moralista..O Matthew se revelou o vilão..afff tudo que vc disse deu certo!!! kkkk
afff
beijos
Romeika

Kamila said...

Romeika, você adivinhou: eu amei "Zuzu Angel", mas não por ele ser parecido com "Olga" (acho que eu sou a única pessoa que adora esse filme), mas por ter suas qualidades próprias (leia meu texto depois, se você puder).

Até poderia fazer comentários sobre seriados de TV, mas não aqui nesse blog porque ele é intitulado "Cinéfila por Natureza" e não "Viciada em Seriados" :-). E, apesar de sua sugestão ser ótima, acho que eu não seria boa em fazer comentários sobre os seriados. Eu tenho uma relação de amor e ódio com eles e os comentários poderiam sair amargos demais! kkkkkkkk

Eu não li nenhum spoiler antes de assistir ao final da 2a. temporada de "DH", mas realmente parece que eu acertei na mosca. Se bem que não foi tão difícil assim, todas as pistas estavam lá na nossa cara.

*****ATENÇÃO PARA OS SPOILERS******

Gabrielle é uma doida egoísta, nunca perdoaria Carlos se ele a traísse. A traição dele é a desculpa perfeita para ela parar de se sentir culpada em relação ao caso dela com John.

Viu que Susan continua chata e infantil? Parece que continuará ainda assim por mais tempo... Estranhei ninguém tê-la avisado sobre o acidente com Mike.

Bree, tadinha, parece que vai se envolver com outro doido. Será que os roteiristas não vão dar um tempo para ela ser feliz de verdade um pouquinho??? (PS: quando o Rex apareceu no episódio me deu uma saudade dele. Por quê os idiotas dos roteiristas o mataram????)

Como eu te disse na terça, se Matthew havia manipulado o irmão uma vez, poderia ter manipulado outras... Se bem que não houve assim uma manipulação, mas que Matthew sempre defendeu sua família (e especialmente ele mesmo) não me surpreendi com ele ser o vilão dessa segunda temporada.

Pelo menos Lynette e Tom continuam juntos. Você sabe que eu adoro o núcleo familiar deles. E adorei o que está por vir para ela (a mãe da filha dele morando perto dos dois será MUITO interessante). Mas ainda quero vê-la como a dona de casa e mãe desesperada que ela era.

No entanto, o destino de "DH" me parece que ainda continua a seguir a trilha de um novelão mexicano. Que pena que a série não vai seguir o curso inicial que seria baseado no filme "Mulheres Perfeitas". Ainda há tempo dos roteiristas mudarem o rumo da série... Tomara que eles não façam isso quando for tarde demais!

Felipe Peixe said...

Eu tb amo Olga, assisti 2 vezes e pensava tb q era so eu q gostava do filme. Kkkkkkkk...

Kamila said...

Que bom que somos dois, então, Felipe. Beijos!

Romeika said...

hahaha vc deveria ter dois blogs então, seria ótimo ler esse 'viciada em seriados' hahaha:)
Menina, vc acertou em cheio!! Confesso que no episódio antes da revelação do vilão, vi que estava tudo claro, mas tb foi depois do que vc me disse..sou muito ruim pra decifrar as coisas..afff
eu tb odeio o Rex morto..maior besteira ele morrer..e não aguento mais esse homens loucos da Bree..o da farmácia, o viciado em sexo e agora quem..?? afff coitada...

Susan, idiota como sempre..E aquela mulher pra infernizar a vida da Lynnete..afff..:p

novelão!!!

Kamila said...

Novelão total! "DH" vai virar um seriado pior do que "The O.C.".