Tuesday, October 24, 2006

Cinema, Aspirinas e Urubus (Movies, Aspirin and Vultures, 2005)


Muita gente se surpreendeu quando o Ministério da Cultura anunciou o filme “Cinema, Aspirinas e Urubus”, do diretor Marcelo Gomes (que também co-escreveu o roteiro do filme ao lado de Karim Ainouz e Paulo Caldas), como o representante oficial do Brasil na tentativa de indicação ao Oscar 2007 de Melhor Filme Estrangeiro. Não porque o filme seja de má qualidade, e sim, pois ele não tinha o apoio de uma grande produtora nacional, como a Globo Filmes. A concorrência de “Cinema, Aspirinas e Urubus” à indicação foi grande e incluía filmes como “A Máquina”, “Anjos do Sol”, “Bens Confiscados”, “Cafundó”, “Depois Daquele Baile”, ”Doutores da Alegria”, “Estamira”, “Irma Vap – O Retorno”, “O Maior Amor do Mundo”, “Tapete Vermelho”, “Vida de Menina” e o que todos consideravam o favorito para a indicação, “Zuzu Angel”.

“Cinema, Aspirinas e Urubus” começa mostrando Johan (Peter Ketnath), um imigrante alemão. Ele dirige um caminhão, nos anos 40, em pleno sertão pernambucano e está aparentemente perdido no meio do nada. A princípio, nós da platéia não saberemos nada sobre ele ou sobre o que ele faz. Talvez para conseguir se direcionar no meio do sertão, Johan contrata como seu ajudante, Ranulpho (João Miguel, numa grande performance), um homem que busca uma oportunidade de crescer na vida longe do sertão pernambucano e que, por isso, não hesita em aceitar a proposta que Johan lhe faz.

O filme adota o formato de road movie para contar a história de Johan e Ranulpho rumo à cidade de Triunfo. Nessa viagem, eles entrarão em contato com as pessoas e com a cultura do sertão nordestino. Ao mesmo tempo, apresentarão um mundo novo aos habitantes das localidades que visitam, pois, em cada nova cidade que chegam, Johan (que, agora sabemos, trabalha como caixeiro viajante vendendo aspirinas) e Ranulpho armam acampamento, montam um cinema e passam um filme que mostra os benefícios que a aspirina traz aos seus consumidores. Portanto, pessoas que têm pouco dinheiro para comprar comida, acabam desperdiçando suas economias nas aspirinas de Johan. Essa viagem também marca o início de uma amizade que surge entre Johan e Ranulpho. Apesar das origens culturais diferentes, os dois têm muito em comum, afinal ambos estão fugindo de algo – Johan, de seu país natal e da guerra; Ranulpho, da fome e da miséria.

É muito cedo para dizer se “Cinema, Aspirinas e Urubus” terá chances de ser indicado ao Oscar 2007 de Melhor Filme Estrangeiro. Neste exato momento, a única certeza é a de que o grande favorito à estatueta é “Volver”, do diretor espanhol Pedro Almodóvar. No entanto, os relatos iniciais são animadores. Quem esteve presente na exibição de “Cinema, Aspirinas e Urubus” aos votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas afirma que o filme foi aplaudido no final e manteve um número considerável de votantes atentos até o final da sessão. De qualquer maneira, indicado ou não, a atenção que “Cinema, Aspirinas e Urubus” vem conquistando na mídia estrangeira já é um grande prêmio.

Cotação: 7,0

Crédito Foto: Web Cine

18 comments:

Romeika said...

Eu esperava mais deste filme, mas gostei muito das atuações dos dois atores, principalmente a de João Miguel. (...) Kamila, o site que vc me falou do Ricardo Calil é este aqui?

http://olhaso.nominimo.com.br/

Sim, o link do flog novo é

http://www.fotolog.com/healthy_models

Kamila said...

É esse link mesmo, Romeika!

Eu estou no trabalho agora, quando chegar em casa visito seu flog novo!

Museu do Cinema said...

Gostei muito do seu text Kamila, principalmente da parte inicial onde fala que Cinema,Aspirinas...não é produzido pela Globo Filmes, o que já é mérito, porque acho que a Globo enlata muito as produções nacionais.

No entanto ainda não "aceitei" muito o filme. Ainda não o vi, e estou esperando seu lançamento em DVD, mas não penso que sua indicação ao Oscar mude alguma coisa.

Kamila said...

De uma certa maneira, Cassiano, a Globo Filmes está meio que monopolizando a produção nacional. A Globo não quer ter só o monopólio televisivo, por isso, amplia suas frentes.

Eu acho que o fato de esse filme ter sido indicado já é um grande sinal. A comissão que escolhe o filme indicado foi corajosa, foi contra o óbvio (Zuzu Angel). No entanto, também tenho minhas dúvidas a respeito de uma possível indicação do filme ao Oscar. Se isso acontecer, ótimo.

Museu do Cinema said...

Vou além Kamila, a Globo tá transformando nosso cinema em creme de leite! E o pior com a conivência da imprensa.

Kamila said...

É realmente incrível como a imprensa tem sido boazinha demais com os filmes pasteurizados produzidos pela Globo Filmes. Eles seguem aquela máxima: "poxa, é feito aqui, para que eu vou criticar? Mesmo sendo ruim, a gente elogia".

Os filmes da Globo Filmes têm o Padrão Globo de Qualidade: os artistas, os diretores, os roteiristas. É a mesma panelinha de sempre!

Túlio Moreira said...

Torço por Cinema, Aspirinas... e discordo dos comentários. Os filmes da Globo Filmes ainda tão muito menos amparados pela alienação global que os outros produtos da organização, até mesmo pq cinema é arte nua e crua, não tem muito o que embromar, até q os produtores de Hollywood ou o Moacyr Goés provem o contrário.

Mas realmente não tem chance diante de um Volver...

Kamila said...

Túlio, talvez você consiga me tirar essa dúvida. O que o povo tem contra Moacyr Góes? Quando se fala da qualidade duvidosa de alguns filmes brasileiros, o nome dele já aparece. :-)

Túlio said...

Kamila, vc quer mesmo que eu te explique?

Kamila said...

Queria, Túlio, mas já dá para ter uma idéia do por quê ele é tão odiado!

Túlio Moreira said...

é só ver o quanto a carreira do cara é "homogênea". Pau pra toda obra, pau mandado!

Kamila said...

Valeu pela explicação, Túlio!

túlio moreira said...

precisando, eu tb sou pau mandado!

Kamila said...

Tá certo!!!

:-)

Romeika said...

Vixe, Kamila, pensei que vc iria colocar uma crítica de "meninamá.com"?:-p
hahaha brincadeira...:)

P.S.:"porque de graça é mais gostoso"

fala sério..que troço mais tosco, este slogan! huahuahuahua..

Não, mais seria interessante ver a sua crítica de filmes "off-theaters" aqui:-p

Romeika said...

http://www.natalieportman.com/picstemp/Bazaar4%20Pic.jpg


Olha o tamanho do salto que ela precisou usar....:)

Audrey era bem mais alta, pelo menos uns 10-12 cm eu acho...

Mais fotos:
http://www.natalieportman.com/npcom.php

Kamila said...

"porque de graça é mais gostoso" foi fogo!!!! kkkkkkkkkk

Mas, de qualquer maneira, foi ótima a sessão de cinema em casa, e vou me divertir bastante com os filmes que você me emprestou. Só não venha me cobrar os DVDs depois. Vou assistí-los com calma, mas eu devolvo! :-)

Sobre sua sugestão: não dá para escrever um crítica dos filmes off-cinema aqui. Teria que fazer outro blog, pois foge do meu propósito. Mesmo assim, fica a sugestão para um futuro próximo...

Estou tentando postar a crítica da obra-prima que vimos hoje (kkkk), mas o blogger não está colaborando. Vamos ver se consigo daqui até a hora que tenho que sair!

Depois vejo as fotos da Natalie e comento com você as minhas opiniões.

Romeika said...

Fique à vontade com os filmes, devolvendo pelo menos até 15/12 tá bom pra mim (é quando eu tenho que entregar a monografia, aí fico livre pra colocar filmes, livros, tudo em dia..)

O que vc achou das fotos??

:)