Monday, December 11, 2006

A Última Noite (A Prairie Home Companion, 2006)


O diretor, roteirista e produtor Robert Altman era um daqueles poucos profissionais do cinema que podia se orgulhar de ter, no seu currículo, filmes dos mais diversos gêneros – para se ter uma idéia, até faroestes ele fez. Apesar de sempre ter sido um cineasta aclamado pela crítica, Altman nunca viu seus filmes serem sucessos comerciais. Mesmo assim, conquistou uma legião de fãs entre os cinéfilos.

Nos últimos anos, era notável que o estado de saúde de Robert Altman estava ficando delicado. Durante a produção de “A Última Noite” – aquele que acabaria sendo o último filme dele na cadeira de diretor –, isso ficou ainda mais claro (tanto que, para finalizar o filme, Altman precisou da ajuda do amigo diretor Paul Thomas Anderson). Nesta película, Altman retrata aquele momento que o artista mais teme: o fechar das cortinas, o fim do espetáculo. Muitos aqui enxergam na trama do filme, uma própria metáfora com o momento vivido pelo diretor naquele instante particular: estaria ele fazendo o seu último filme? Teria ele pique para criar outras novas obras? Na realidade, ninguém ao certo saberá se Robert Altman realmente compreendia que “A Última Noite” seria o seu derradeiro filme.

Assim como em muitos de seus outros filmes, Altman reuniu ao seu redor um grande elenco, formado por Meryl Streep e Lily Tomlin (como as irmãs Yolanda e Rhonda Johnson), Woody Harrelson e John C. Reilly (como a dupla Dusty e Lefty), Lindsay Lohan (como Lola Johnson, a filha de Yolanda), Garrison Keillor (que também escreveu o roteiro de “A Última Noite” e interpreta a si mesmo), Tommy Lee Jones (como o interventor da grande corporação de emissoras de rádio), Virginia Madsen (como um anjo), Kevin Kline (como o chefe de segurança do teatro) e Maya Rudolph (como a produtora do programa), dentre outros. Também como é de costume nos filmes do diretor, todos os atores terão o seu momento para brilhar.

Este grupo interpreta um conjunto de artistas cantores de música country/bluegrass; de locutores, produtores e funcionários de uma emissora de rádio que, após mais de trinta anos juntos, fará a última transmissão do programa “A Prairie Home Companion” – que, à moda dos programas antigos de rádio, é transmitido ao vivo de um teatro com a presença de uma platéia.

“A Última Noite” se divide em dois planos de ação: o que acontece nos bastidores e o que acontece no palco. Nos camarins, existe a nostalgia, o encontro com as origens de cada uma dessas pessoas. No palco, como se lá fosse o local magnético de um encontro único, ocorre a magia, o deleite e a emoção embaladas por uma série de lindas – e, em alguns casos, divertidas – canções. Todos estes elementos realmente formam uma grande metáfora sobre o fim. O interessante é perceber que nenhum personagem encara a despedida, mesmo sabendo que ela irá acontecer. É aquele velho conceito de que o show tem que continuar.

Quando “A Última Noite” estreou nos cinemas de minha cidade, Robert Altman já havia falecido. Se assistir a um filme dele em circunstâncias normais já seria muito especial, fazer isso agora transforma essa experiência em algo inesquecível. Após a morte de um dos personagens de “A Última Noite”, vemos aqueles que permaneceram discorrendo sobre qual a maneira correta de se lembrar de alguém. Garrison Keillor diz que gostaria que as pessoas não se sentissem obrigadas a se lembrar dele. No caso de Altman, ele estará vivo para sempre nas memórias daqueles que assistiram aos seus filmes. Seu legado permanecerá eterno por inúmeras gerações.

Cotação: 8,0

Crédito Foto: Yahoo! Movies

21 comments:

romeika said...

Eu ainda não assisti nada, nem posso comentar=/ Mas terminei a parte pesada da monografia, e pra espairecer talvez hoje à noite eu vá assistir "O Labirinto do Fauno" pra tirar a seca...:-p

romeika said...

Fui ao cinema ontem à noite e adivinha qual é o meu melhor filme do ano até agora? Adivinha qual é o único filme com lançamento em 2006 nos EUA que eu dou as minhas cinco estrelinhas até agora? Adivinha qual a atriz infanto-juvenil que eu considero a melhor atuação nessa faixa etária esse ano?

Deixei a sala de cinema sem palavras...Há tempos que não me emociono tanto assim.

Kamila said...

Romeika, você não precisa ficar “refém” da monografia. Aproveita o seu resto da tarde e se dedica a ela, sem esquecer de fazer as coisas que você gosta. Equilibrando direito o seu tempo, você conseguirá fazer tudo.

“O Labirinto do Fauno” é um grande filme, mas não acho que seja um dos melhores do ano – ou o melhor do ano. O filme é ótimo, muito bem executado, com excelentes atuações e desenvolve muito bem a sua história.

Ivana Baquero está bem no filme, mas acho que a melhor atuação de “O Labirinto do Fauno” é a de Sergi López, como o padrasto coronel do regime franquista.

Um filme que me emocionou como há muito tempo eu não me emocionava foi “Volver”. Esse você não pode perder!

Túlio Moreira said...

Romeika, o meu prêmio Sessão do Ano está dividido entre Pequena Miss Sunshine e O Céu de Suely. Fortes dúvidas internas para fazer essa escolha! A propósito, qual o tema da monografia? (curioso, hehehehehe)

P.S.: Kamila, torça para que o último Altman's chegue aqui em Goiânia!

Kamila said...

Já estou na torcida, Túlio. Se “Volver” passou primeiro aí, para, na semana seguinte, chegar aqui; vou torcer para “A Última Noite” fazer o percurso inverso e, passar primeiro aqui, e, na próxima semana, chegar aí. :-)

Museu do Cinema said...

Só filmão hein Kamila? Vida Boa.

É bom saber que ainda existem Almodóvars e Tarantinos vivos, e Altmans e Kubricks mais vivos ainda, porque esses estão em memórias de cinéfilos.

Kamila said...

Cassiano, realmente não posso reclamar de minha semana no cinema. Foi perfeita! Espero que ela seja a primeira de muitas outras boas semanas de filmes...

Museu do Cinema said...

a tendência é melhorar Kamila, vem ai Babel, espero muito desse filme e desse diretor (ele ainda deve 1 filme para completar 3), The Good German, A Rainha, Dreamgirls, INLAND EMPIRE (tomara!). E claro, Casino Royale, porque entretenimento puro tb é bom.

Kamila said...

“Cassino Royale” já estréia nesta semana. “A Conquista da Honra” também deve estrear neste mês. O trailer de “Pecados Íntimos” passou ontem na sessão de “A Última Noite” e deve estar próximo de estrear. “Babel” estréia em Janeiro, enquanto que a de “Dreamgirls” foi antecipada em uma semana e deve chegar aos cinemas brasileiros em 16 de fevereiro, em pleno carnaval (o que indica que eu só poderei assisti-lo depois da quarta-feira de cinzas, infelizmente).

Acho que, infelizmente, ainda demoraremos para assistir “Inland Empire” (nem nos EUA esse filme teve a distribuição que merecia), “The Good German” (por causa da péssima recepção da crítica norte-americana ao filme) e “A Rainha” (se estrear no Brasil, vai ser em circuitos limitados). Aqui em Natal – se estrear - esse filme só deve passar com grande atraso, e muito tempo depois do Oscar, o que é uma pena, pois esse filme é o melhor de 2006).

Cassiano, esse final de ano e os três primeiros meses de 2007 têm tudo para ser muito bom, no que diz respeito às estréias cinematográficas.

romeika said...

Kamila, eu já terminei todo o desenvolvimento da monografia, estou quase livre, e além disso, o prazo de entrega foi suspenso mais uma vez, então estou mais tranquila. Eu adorei "O Labirinto do Fauno", mas como falta muito filme para ver, usei o "melhor do ano até agora". Como você disse, ainda não vi "Volver" etc... Eu achei interessante a atuação do Sergi López, me lembrou até um pouco o Ralph Fiennes em "A Lista de Schindler", mas não sei se colocaria ele na minha lista de melhores atuações do ano. Pela Ivana eu me apaixonei, ela me lembrou a Natalie Portman quando novinha, tanto na aparência quanto na vulnerabilidade de sua atuação.

Túlio, "o Céu de Suely" não estreou em Natal, mas é um filme que eu gostaria muito de ver. "Miss Sunshine" tb está na minha lista de melhores. E o título (provisório) da minha monografia é "Aspectos histórico-econômicos no filme Tempos Modernos" (foi o tema menos sacal que eu pude encontrar numa pós em jornalismo econômico..)

abs!
^-^

Kamila said...

Romeika, o prazo de entrega foi suspenso de novo? Excetuando o lado de ter que ficar na agonia de terminar logo o curso, pelo menos isso tem um lado bom: você terá mais tempo para fazer o trabalho sem correria nenhuma. Tomara que tudo esteja finalizado a tempo de você viajar tranqüila.

Da minha, só falta receber o diploma mesmo. Entrei em contato com o coordenador, mas nem prazo ele me deu para a entrega. Ele disse que estava dependendo do MEC. Já, já passa um ano que eu entreguei a monografia e nada da gente receber o diploma.

Túlio Moreira said...

putz... eu ainda estou só no segundo período... boa sorte, hein!

romeika said...

Kamila, o prazo foi adiado de novo, ainda que não oficialmente..O povo da minha pós é fogoooo, tem gente com dezenas de trabalhos pendentes, que não começou nem a fazer um capítulo da monografia! Eu fiquei mais tranquila pq agora posso fazer a parte final mais relaxada (a minha gastrite agradece). O estresse agora vai ser da viagem:)

Túlio, como você é novinho!!

Kamila said...

Romeika, na minha pós também tinha muita gente assim, com trabalhos atrasados de matérias ainda do início do curso, para você ter uma idéia. Houve uma pequena pressão por parte de coordenação e os atrasados se regularizaram.

O estresse da viagem é só na hora dos preparativos: arrumar passaporte, bagagem, verificar se está tudo certo. Isso você resolve em um dia. Depois, é só curtir!

romeika said...

Só um dia e tudo resolvido?? Quem dera! É muita coisa pra organizar, afinal, vou ficar um ano por lá...

Voltando aos assuntos cinematográficos, na minha sessão do fauno ontem passou o trailer de "Maria Antonieta", fiquei com água na boca.

Kamila said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Kamila said...

Romeika, a burocracia você resolve em um dia, dois no máximo. O que leva mais tempo - e é o menos complicado - e você se organizar quanto à bagagem, o que você pretende levar.

Não estou nem um pouco ansiosa para assistir "Maria Antonieta". Prefiro ver outros filmes antes dele.

felipeixe said...

Presentearei-me assistindo aos 3 últimos filmes numa jornada. Vou me preparar fisicamente para assistir 1 atrás do outro. Depois comento cada um e com foi minha aventura pelo cinema. Hehehe..
Bjs!

romeika said...

http://www.contracampo.com.br/83/mostralaberintodelfauno.htm

Olha essa resenha maravilhosa sobre "O Labirinto do Fauno". Quem não viu o filme, não leia! (Spoiler)

Kamila said...

Felipe, esse é um baita presente! Você merece e espero que aproveite MUITO! Com certeza, lembrará desse dia com muito carinho! Espero seu comentário e, mais uma vez, feliz aniversário! :-)

Beijos!!!

Túlio Moreira said...

Sou novinho mesmo! Um cinéfilo recém-saído das fraldas...

Beijos (para as meninas) e abraço (para os marmanjos)