Wednesday, January 17, 2007

Uma Noite no Museu (Night at the Museum, 2006)


Numa época em que a informação está a um clique de distância, não chega a ser surpreendente saber que os museus estão passando por uma crise de público. Afinal, quem quer ir ao museu mais próximo se pode dar uma volta virtual pelo museu do Louvre, em Paris? “Uma Noite no Museu”, filme do diretor Shawn Levy (mais conhecido pelo trabalho em comédias como “Recém-Casados”, “Doze é Demais” e a refilmagem de “A Pantera Cor de Rosa”), quer provar justamente o contrário. Você deve ir fazer uma visita ao museu, pois esse é o lugar em que a história ganha vida.

Larry Daley (Ben Stiller) é um homem divorciado, pai de Nick (Jake Cherry). A vida dele é completamente instável. Ele não consegue se firmar num emprego ou se fixar em um endereço. Ao ver que seu filho começa a tomar como exemplo a figura de um outro homem – a do padrasto investidor da Bolsa de Valores (Paul Rudd) –, Larry finalmente percebe que precisa dar um jeito em sua vida.

Portanto, Larry vai a uma agência de empregos e, depois de escutar algumas negativas, é enviado ao Museu de História Natural da cidade de Nova York, pois talvez lá exista alguma vaga para ele. Após passar pelo crivo dos guardas-noturnos que ele irá substituir (a trinca de atores formada por Dick Van Dyke, Mickey Rooney e Bill Cobbs), Larry inicia o seu trabalho.

O que parecia ser algo absolutamente normal ganha contornos extraordinários quando Larry percebe que, durante o turno da noite, as criaturas de cera que habitam o museu (como o ex-presidente Teddy Roosevelt; os exploradores Lewis e Clark e Cristóvão Colombo; Átila, o Huno; os romanos; os índios e os cowboys; os combatentes da Guerra Civil Americana; dentre muitos outros) ganham vida – transformando o que era calmo em caos absoluto.

A interação que existe entre Larry e as criaturas do museu – que deveria ser o ponto alto de “Uma Noite no Museu” – só funciona quando Robin Williams (que interpreta o ex-presidente Teddy Roosevelt) está na tela. Esse intercâmbio entre passado e futuro também chama a atenção para o ótimo trabalho de direção de arte, de figurinos e de caracterização de personagens que o filme possui. No resto do tempo, “Uma Noite no Museu” abre espaço demais para o humor do irritante Owen Wilson (que interpreta Jedediah, um cowboy) e coloca em segundo plano atores que poderiam contribuir mais com o filme, como a ótima (quando ela irá receber um papel digno de seu talento no cinema?) Carla Gugino e o comediante inglês Ricky Gervais (criador das séries “The Office” e “Extras”).

Se formos abstrair a presença excessiva de Owen Wilson na tela, “Uma Noite no Museu” é até um filme que rende boas risadas. A trama desenvolvida pelos roteiristas Ben Garant e Thomas Lennon é bastante explicativa e vai agradar em cheio aos jovens que, certamente, irão lotar as salas de cinema para assistir ao filme. No entanto, o que de melhor “Uma Noite no Museu” possui é oferecer a oportunidade para que toda uma nova geração conheça os atores Dick Van Dyke, Mickey Rooney e Bill Cobbs. Ainda bem que eles não foram colocados como peças do museu. Mesmo assim, a eles só cabe o papel de ser o suporte para que Ben Stiller possa brilhar – e, neste filme pelo menos, ele está bem melhor do que nas suas últimas aparições na grande tela.

Cotação: 6,8

Crédito Foto: Yahoo! Movies

20 comments:

Rodrigo Mathias said...

Opa, grande critica...ótima...adorei...

mas então, não fui ver ainda a esse filme, e com certeza verei o mais breve.

Em relação a sua nota, imagino que ela corresponde exatamene ao filme... só achei a nota pro Filhos da Esperança, um pouco baixa demais....qual nota você dá para Harry Potter 3??


Bjos

Kamila said...

Rodrigo, bom, as notas são somente uma questão de gosto pessoal. Se sinta livre para discordar delas. Posso te dizer que eu gostei bastante de "Harry Potter 3" e acho que eu daria uma nota melhor a este filme do que a que eu dei para "Filhos da Esperança".

karina said...

Ótima crítica! Competente, refletindo exatamente a pessoa que vc é. beijos

Wanderley Teixeira said...

Ainda nã fui conferir Uma Noite no Museu e nem sei se vou conferir nos Cinemas com tantas estréias boas por vir...Mas realmente Owen Wilson é irritante e extremamente sem graça,no Penetras mesmo o Vaughn garante melhores risadas que ele.

Kamila said...

Karina, adorei a surpresa de sua visita. Obrigada pelo comentário. Beijos.

Wanderley: “Uma Noite no Museu” é um filme que vai funcionar bem tanto no cinema quanto na TV. Se você tiver a oportunidade de assistir às grandes estréias que estão por vir, nem hesite e pode deixar para ver o filme do Ben Stiller no conforto de sua casa mesmo.

Túlio Moreira said...

Kamila, acho que esse é daqueles filmes que todos nós cinéfilos sempre precisamos de vez em quando, sabe?, aqueles que não nos forçam muito a cabeça, ou seja, uma bela sessão despretensiosa... Por isso é que acho que a Hollywood-só-comercial só tende a crescer, até porque é NECESSÁRIA, não?

(escrevi muita besteira?)

bjo!

Kamila said...

Túlio, você não escreveu besteira alguma. Eu concordo plenamente com seu post. Todo mundo precisa, de vez em quando, de um filme como "Uma Noite no Museu". Uma diversão legal, que faz a gente rir um pouquinho. A Hollywood comercial cresce, e só tende a crescer mais ainda, até porque grande parte do público que vai ao cinema está mais interessado é nisso mesmo: numa diversão, em algo que os afaste dos problemas diários.

Beijo.

Otavio Almeida said...

Muito bem, Kamila! É isso aí!

Me diga: vc riu na cena do pneu esvaziando?

E o melhor papel de Owen Wilson é em CARROS. HEhehehe...

Bjs!

Alex Gonçalves said...

Kamila, como você é uma cinéfila bem freqüente em vários Blogs de alguns colegas, passo pela primeira vez para fazer uma visita e deixar um comentário por aqui. Gostei bastante do conteúdo do seu texto e a sua objetividade (confesso que já me aventurei por aqui umas outras vezes, mas nunca passei para comentar a respeito do seu material). Sobre o filme Uma Noite no Museu, achei simplesmente ótimo! O gênero comédia é um cinema que não anda me agradando tanto quanto nos tempos de infância, mas este novo filme com Bem Stiller me arrancou muitas, mas muitas risadas mesmo!
Simplesmente adorei!
Quando eu estiver com um tempo mais disponível, comentarei sobre suas novas atualizações.
Até a próxima!

Roberto Queiroz said...

Kamila, agradeço a visita ao The Cave (sinta-se à vontade para opinar quando tiver vontade!). Não assisti a Uma Noite no Museu, mas quanto a Filhos da Esperança, foi a melhor experiência cinematográfica que eu tive ano passado (adoro ficção-científica). Finalmente o diretor Alfonso Cuarón encontrou o seu lugar dentro do mercado de cinema.

Abraços do crítico da caverna.

Rodrigo Mathias said...

=]

Ahhh, já postei no blog os vencedores do PDC, passa lá pra ver como foi...

;]

Beijos

Kamila said...

Otávio, a cena do pneu esvaziando é uma das melhores de “Uma Noite no Museu”. Quase que eu me estouro de rir!

Oi, Alex. Obrigada pela visita e pelo comentário. Não sou muito fã do gênero de comédia, mas esse filme foi uma grata surpresa nesse sentido. O Ben Stiller está ótimo e a história do filme é bem interessante.

Bom final de semana e até a próxima!

Kamila said...

Oi, Roberto. Obrigada pela visita. Muita gente se sente assim em relação à “Filhos da Esperança”. Não acho que o filme entraria no meu top 10 do ano passado, mas não deixa de ser uma grande experiência cinematográfica. Os três diretores mexicanos (Guillermo del Toro, Alejandro Gonzalez Inarritu e Alfonso Cuarón) tiveram um excelente 2006, com filmes ótimos que provam que ainda tem gente por aí interessada em fazer um bom cinema.

Bom final de semana!

Museu do Cinema said...

Kamila, invejo vc por não ter pré-conceitos para ver filmes, eu confesso que não tenho mais "humor" para ir ver filmes como esse no cinema, em DVD talvez, pq gosto do Ben Stiller.

Otavio Almeida said...

QUE ISSO, Cassiano! O cinema não tem a obrigação de ser sempre, mas tb pode ser divertido!

Abs a todos e bom final de semana!

Kamila said...

Cassiano, a gente que gosta de cinema, de assistir filmes, não pode ter preconceitos com isso. Eu procuro assistir ao máximo de filmes que posso.

Rodrigo Mathias said...

Opa, dá tempo sim!! eu nem cheguei a te convidar pq naquele post vc num disse nada nos coments, mas vc pode sim! super bem vinda...
Tente já ir preparando a lista de suas apostas com 5 candidatos em cada categoria. As categorias são: Melhor Ator, Melhor Atriz, Ator e Atriz Coadjuvantes, Filme, Direção, Fotografia, Edição, Som, Edição de Som,Figurinos, Direção de Arte, Trilha Sonora, Efeitos Visuais,Maquiagem, Canção, Filme Estrangeiro, Roteiro Original e Adaptado e filme de animação. Ahh, temos ainda algumas duvidas como, Leonardo DiCaprio é coadjuvante pelos Infiltrados? São 5 ou 3 indicados a Animação e Edição de som. Mas com o tempo isso se responderá...Me mande um email com as apostas (rodrigo_mathias91@hotmail.com) até o dia 22, a véspera.

Obrigado e beijos...

Kamila said...

Rodrigo, para animação serão só 3 indicados. Mandarei minha lista amanhã mesmo. Obrigada por me deixar participar do bolão. :-)

felipeixe said...

Gostei do filme por ele ser simplesmente isso, uma comédia sem compromisso. Taí um filme que assistirei novamente em "Tela Quente", em 2008.

PS.: A cena do pneu esvaziando realmente é a mais engraçada do filme.

Bjs Kamila!

Kamila said...

O filme é ótimo justamente por causa dos motivos que você citou, Felipe. Dá para a gente se divertir muito.

Beijos!