Wednesday, May 16, 2007

Número 23 (The Number 23, 2007)

A nossa vida é bastante marcada por uma série de números. A data de nosso nascimento, a cédula de identidade, o número da casa/apartamento aonde moramos, a data em que nos casamos, a data em que nascem os nossos filhos, a data em que morremos, dentre outras. São estes números que definem, de certa maneira, as passagens mais importantes de nossa existência. O filme “Número 23”, do diretor Joel Schumacher, fala justamente sobre a obsessão de um homem com um número que parece ser um elemento recorrente em sua vida.

Walter Sparrow (Jim Carrey) é um cara comum, que trabalha numa central de controle de animais, e que leva uma vida pacata ao lado da esposa Agatha (Virginia Madsen) e do filho Robin (Logan Lerman, um ator revelado no excelente seriado “Jack & Bobby”, que foi cancelado prematuramente). No dia da comemoração de seu aniversário, no entanto, algo começa a dar errado. Ele é mordido por um cachorro no serviço, sua esposa fica doente e não pode ir à festa que daria aos amigos, uma colega de trabalho dá em cima dele e, finalmente, ele se vê preso em um livro que não consegue parar de ler e que lhe foi dado de presente pela sua esposa.

O livro, que se chama “The Number 23”, conta a história de um detetive chamado Fingerling (também interpretado por Carrey), que se vê obcecado pelo número 23, após investigar uma bela garota (Lynn Collins), que acreditava ter sido vítima de uma maldição do número. Na medida em que Sparrow vai lendo o livro, ele começa a enxergar certos paralelos com a sua própria vida, com acontecimentos que marcaram a sua infância, a sua vida adulta. Ou seja, ele também fica paranóico a respeito do número 23 e começa a fazer a sua própria investigação para chegar ao autor do livro e se livrar dessa obsessão.

O roteiro de Fernley Phillips tem uma premissa muito interessante (a de que são as nossas escolhas que nos definem, e não os números ou os adjetivos que recebemos ao longo de nossas vidas) e vai sendo bem desenvolvida até, mais ou menos, o quarto final de “Número 23”. O diretor Joel Schumacher, um dos mais instáveis na indústria cinematográfica, executa bem a sua história, mas peca por ter deixado passar os elementos mais fracos do roteiro de Phillips, e que se encontram justamente na última reviravolta que a trama oferece. Um final hipócrita demais, do tipo “faça a coisa certa”. Uma interpretação caricata de Jim Carrey. São elementos suficientes para fazer com que os cinéfilos fiquem longe de “Número 23”.

Cotação: 1,0

Crédito Foto: Yahoo! Movies

11 comments:

Túlio Moreira said...

1.0!

heheheheheh

como vc disse, kamila, joel schumacher eh muito instavel. achei o trailer interessante, mas realmente fico com um pe atras na hora de conferir os filmes dele (apesar de as vezes entregar perolas do entretenimento adulto, como O CLIENTE ou POR UM FIO).

bjs!

Kamila said...

Túlio, o trailer do filme é ótimo, mas o filme em si é uma porcaria. Se você quiser assistir a este filme, deixe para alugar em DVD mesmo.

Beijo.

Otavio Almeida said...

Te falei que era péssimo, né??

Bjs,

Ah! Recebeu meu e-mail sobre o ZONA DO AGRIÃO???

Bom, vou deixar o recado aqui:

"Pessoal, dêem uma olhada no meu blog de futebol. É o ZONA DO AGRIÃO.

Passem por lá e me digam o que acharam. Podem criticar, etc. Preciso de sugestões para encontrar a "formação ideal" para o blog. É http://zona-do-agriao.blogspot.com/"

Museu do Cinema said...

Nossa, esse filme é tão ruim assim, a crítica detonou, os blogueiros tb, não sei não, mas acho que vou gostar...

Kamila said...

Otávio, bem que você avisou... Mas, é o jeito ter que assistir filmes como esse, tendo em vista que são os únicos a estrear por aqui.

Cassiano, as opiniões são contraditórias. Nesta semana, encontrei alguém que amou "Número 23" e não entendeu por quê eu odiei o filme. :-)

Bom final de semana!

Wanderley Teixeira said...

Nossa,esse é um dos filmes que tive o maior desprazer de conferir no cinema este ano.Não achei o Carrey tão ruim assim,mas o roteiro e a direção tosca do Schumacher são os maiores responsáveis pelo fiasco.Graças a Deus que Nicole Kidman fugiu desta empreitada,o papel de Virginia Madsen seria dela,mas Kidman se recusou a participar.Ufa!rsrsrsrrs

Marcus Vinícius said...

Pelo jeito, eu só vou ver esse filme na tv mesmo, hehe.

Até mais.

leuzz said...

cara, eu vi a sua grade de seriados no the evelopm(o fórum) e fiquei super curiosos. adoro seriado também. ce tem msn? :)

Kamila said...

Wanderley, juro que eu não sabia que a Nicole iria participar desta bomba!!! Ainda bem que ela desistiu a tempo.

Marcus, confira o filme em DVD mesmo. Não vale a pena a ida ao cinema.

Oi, Leuzz. Tenho MSN, sim.

Alex Gonçalves said...

Até que apostava em “Número 23”, mas previa que algo bom não sairia das mãos de Schumacher. O diretor até alterna bons momentos com a premissa muito interessante, mas é exatamente no clímax onde as explicações mais confiáveis tornam a surgir que o filme vai para a lixeira.

Kamila said...

Você resumiu muito bem o que eu achei do filme, Alex.