Monday, August 20, 2007

Os Simpsons - O Filme (The Simpsons Movie, 2007)

Depois de 18 temporadas bem-sucedidas na televisão norte-americana, finalmente o seriado animado “Os Simpsons”, que foi criado por Matt Groening, recebe a sua adaptação cinematográfica. O filme, que é dirigido por David Silverman (que também foi o diretor de filmes como “Monstros S.A.” e “O Caminho Para El Dorado”), segue bem o caminho do seriado, que tem como objetivo fazer uma crítica ao estilo de vida da sociedade norte-americana. Ao mesmo tempo, o filme aprofunda aquela que é uma das marcas registradas da animação: a abordagem irônica de assuntos relacionados à moral e à atualidade.

Num mundo em que os cuidados com o meio-ambiente causam, cada vez mais, reflexões, a história de “Os Simpsons – O Filme” fala sobre a preocupação de Springfield com a poluição do rio principal da cidade. Quando Homer Simpson coloca os dejetos de seu porquinho de estimação no rio, toda a população da cidade é penalizada e Springfield é colocada sob isolamento e Homer e sua família – a esposa Marge e os filhos Bart, Lisa e Maggie – são declaradas personas non gratas na cidade. Acuados, os Simpsons fogem para o Alaska, aonde tentam começar nova vida. Mas, quando descobrem os planos diabólicos do dirigente da Agência Nacional de Meio-Ambiente do governo dos EUA para a cidade de Springfield, os Simpsons voltam à cidade para tentar sair da condição de vilões, e atingir a de heróis.

O tempo todo, “Os Simpsons – O Filme” brinca com a questão de que é um filme baseado em um seriado de TV. Somos deparados, logo no início do filme, com um questionamento de Homer: “quem irá querer assistir a um filme se pode ver o programa toda semana de graça na TV?”. A resposta é simples: quando se tem uma família como Os Simpsons, que brincam com elementos do nosso dia-a-dia, que são politicamente incorretos, que tiram uma onda com a chamada cultura pop, toda oportunidade de se assistir a algo novo deles é válida.

No caso de “Os Simpsons – O Filme”, a adaptação cinematográfica aprofunda alguns elementos da série: como a relação existente entre Bart e Homer, o espírito engajado de Lisa, a paciência e o amor de Marge. A única coisa que é meio diferente é que, no filme, os personagens coadjuvantes do seriado, como Montgomery Burns, o palhaço Krusty, Moe, Milhouse não possuem muito espaço na trama – com exceção do vizinho Ned Flanders, que tem até uma trama paralela bem interessante com Bart. O foco total é nos Simpsons, especialmente na figura cheia de contradições chamada Homer Simpson.

Cotação: 6,0

Crédito Foto: Yahoo! Movies

13 comments:

Bombaata said...

Tambem senti falta do Krusty e do Sr Burns, mas acho que a ideia foi justamente engrandecer os "viloes" utilizando figuras de "fora". A ameaça era maior do que a propia Springfield.
Adorei o Porco-Aranha, foi uma atraçao a parte.
teh mais>

Kamila said...

O Porco-Aranha foi uma ótima atração. E as piadas do filme são maravilhosas.

Museu do Cinema said...

Ainda não vi o filme Kamila, mas acho que o foco deveria mesmo ser centrado na familia Simpson!

Kamila said...

Eu acho correto, Cassiano, o foco na família Simpson - mas fiquei com saudades de ver os coadjuvantes com os quais a gente já está tão acostumado por mais tempo na tela.

Vinícius P. said...

Ainda verei esse filme, mas esperava um pouco mais (por sua crítica). Espero que goste, pois adoro o seriado.

Abraço!

Gustavo said...

Achei meio decepcionante, Kamila. Tava esperando um "algo mais" e eles usaram a mesma fórmula do progama de tv. Ainda é engraçado, maaaas...

Romeika said...

Então, o filme é bom? E ainda tem uma trama paralela com o meu coadjuvante favorito, o Ned Flanders, parece uma boa opção pra um sábado à tarde.

Kamila said...

Vinícius, como fã do seriado, eu acho que você vai adorar o filme.

Gustavo, eu acho que o filme poderia ter ousado um pouco mais, mas não diria que o resultado chega a ser decepcionante.

Romeika, o filme é bom. É engraçado e é uma ótima opção para um sábado à tarde.

Otavio Almeida said...

Concordo com vc, Kamila! Achei bom, mas faltou alguma ousadia.

É um episódio de 90 minutos. E como em alguns episódios, não dá para colocar todos os personagens... É o que aconteceu, por exemplo, no filme de ARQUIVO X.

Bjs!

Kamila said...

Otávio, se tivesse um pouquinho mais de ousadia, "Os Simpsons - O Filme" seria o filme perfeito. Sei que eu reclamo da ausência de alguns coadjuvantes, mas eu entendo perfeitamente o foco na família Simpson.

Beijos.

Otavio Almeida said...

Ah, não. Mas eu estou reclamando tb ao dizer que "em alguns episódios, não dá para colocar todos os personagens".

Pq esse é o problema do filme pra mim: é um episódio grande.

Senti falta do Milhouse, do diretor Skinner... enfim... Vida que segue.

Bjs!

Kamila said...

Ah, Otávio, então, eu compreendi mal a sua afirmação. :-)

Beijos.

Wanderley Teixeira said...

Tb senti falta de um espaço maior para os coadjuvantes, especialmente o Sr.Burns, um dos meus preferidos.Pelo menos naum perdemos Flanders.Mas é sempre bom ver algo como Os Simpson,seja em que midia for.Me faz ter esperança de que ainda existem cabeças pensantes nos EUA, e melhor público para isso.O humor, a ironia e os elementos que mais aprecio na tiração de sarro de Os Simpsons são essenciais para se encarar a vida.