Thursday, November 22, 2007

Sangue e Chocolate (Blood and Chocolate, 2007)

Assim como outros personagens de contos de suspense lendários, como os vampiros, os lobisomens também tiveram a sua cota de inimigos que tentaram destruí-los de vez. Em “Sangue e Chocolate”, filme da diretora Katja Von Garnier, acompanhamos a história dos lobisomens que se estabeleceram na cidade de Bucareste, Romênia. Lá, o grupo liderado por Gabriel (Olivier Martinez) estabeleceu uma rotina bastante ética e que consiste na caça conjunta e nunca nas ruas da cidade. Os rituais deles são feitos em um local sagrado, de forma que proteja a condição deles e os permita viver uma vida mais próxima do normal, sem a ameaça humana.

Dos membros desse grupo, a que adota uma atitude mais discreta é Vivian (Agnes Bruckner, a atriz de “Um Certo Carro Azul”, que cresceu e está bem parecida com a Katherine Heigl). Ela viu a sua família ser assassinada na sua frente e, por isso, sabe da importância de manter sua condição de lobisomem em segredo. Ela trabalha durante o dia fazendo chocolates e, nos rituais noturnos, foge da procura pela presa e prefere ficar curtindo a liberdade que os passeios como loba lhe proporcionam. No entanto, tanto cuidado fica ameaçado quando ela conhece Aiden (Hugh Dancy), um desenhista de graphic novel bastante interessado pela história dos lobos.

A diretora alemã Katja Von Garnier – que chamou a atenção com o telefilme “Iron Jawed Angels”, da HBO, que contava a história das sufragistas norte-americanas – mostra um esmero técnico no que diz respeito à concepção visual de “Sangue e Chocolate”, no qual se destaca, além da fotografia de Brendan Galvin, a direção de arte de Kevin Phipps. No entanto, o ponto negativo do filme vem na atuação de Olivier Martinez e Bryan Dick (os dois vilões do filme) – ambos bem canastrões – e no roteiro criado por Ehren Kruger (de “O Chamado 2”) e Christopher Landon com base num livro de Annette Curtis Klause. Os roteiristas não conseguem equilibrar de maneira eficiente a proposta de misturar suspense, fantasia e romance.

Cotação: 2,0

Sangue e Chocolate (Blood and Chocolate, EUA, 2007)
Diretor(es): Katja von Garnier
Roteirista(s): Ehren Kruger, Christopher Landon
Elenco: Agnes Bruckner, Hugh Dancy, Olivier Martinez, Katja Riemann, Bryan Dick, Chris Geere, Tom Harper, John Kerr, Jack Wilson, Vitalie Ursu, Bogdan Voda, Kata Dobó, Rodica Mandache, Helga Racz, Lia Bugnar

18 comments:

Museu do Cinema said...

Passo longe então!

Wally - Cine Vita said...

Odiei esse filme, realmente muito ruim. A técnica é ruim (a câmera-lenta contínua cansa demais), o visual é decepcionante, o elenco ridículo, o roteiro batido e monótono e a direção pouco inspirada. No fim das contas, um filme muito ruim.

Nota 3,5

Ramon Scheidemantel said...

Também gosto de ressaltar os pontos fortes, mesmo quando não curto o filme. Talvez a estética salve os espectadores da sonolência. hehe!

O Rogério também não indica esse filme. Vou fazer como o Cassiano... passar longe!

Romeika said...

Kamila, o título do filme é tão peculiar no que diz respeito ao roteiro desse filme. Imaginei um romance ou algo assim, mas parece que tem uma mistura de terror e outros elementos.. Não sei, pela descrição do primeiro parágrafo tem cheiro de trash. E pela sua nota, passarei longe!

Fiquei interessada em "Os Donos da Noite", assistirei quando puder.

Dewonny said...

Tbm vi isso e achei muito ruim, história horrorosa e previsível, um dos piores sobre lobisomens dos últimos anos, minha nota tbm foi 2.0!

Rafael Carvalho said...

Quando esse filme estava passando no cinema daqui todo mundo tava falando mal dele, ninguém gostou. Nem passei perto e nem pretendo.

Lá no Moviola Digital, uma pequena entrevista que eu e uma colega conseguimos fazer com o Cláudio Assis. Valeu!

Otavio Almeida said...

Gosto quando vc dá essas notas 1,0, 2,0, 3,0, etc.

Bjs!

Kamila said...

Passe mesmo, Cassiano.

Wally, eu gostei da Katja von Garnier. Achei que ela se saiu bem, especialmente na maneira que decidiu mostrar as transformações de homens em lobos. Ficou uma coisa, digamos, poética.

Ramon, eu acho que, mesmo um filme sendo ruim, se ele tem algo de bom, deve ser ressaltado.

Romeika, eu também pensei que esse filme era um romance, mas é uma mistura de um bocado de coisas que nem dá certo. E assista "Os Donos da Noite", um filmaço.

Concordo, Diego.

Rafael, esse filme passou no cinema? Eu pensava que tinha sido lançado direto em DVD.

Otavio, eu não gosto muito, porque significa que eu "perdi" tempo assistindo uma coisa ruim. Mas, como eu gosto de dizer, para reconhecer o que é bom, a gente tem que entrar em contato com essas bombas.

Beijos e bom final de semana!

Rogerio said...

Oi Kamila,
Nossa, faz tempo que nao passo aqui no CPN, tanta coisa pra ler em tao pouco tempo.

Achei muito fraco esse filme. Principalmente pelo ponto que vc colocou dos viloes: eles nao assustam nem criancinha.

Kamila said...

Rogerio, obrigada pela visita. Realmente, os vilões desse filme são péssimos. Os atores estão canastrões demais.

Wally - Cine Vita said...

Entendo o que disse Kamila, e apesar de não concordar que ela tenha conseguido esse tom poético, é incontestável que era, na verdade, sua intenção. Fazer um romance acerca de homens e lobisomens. O resultado acabou ficando pretensioso e nulo.

Ciao!

Kamila said...

Agora, concordamos, Wally. O filme é de uma nulidade sem fim.

Alex Gonçalves said...

Tive expectativas em torno do filme justamente por essa inusitada mistura de horror e romance. O filme soma pontos pela técnica criativa e bela na transformação dos personagens em criaturas, mas o restante é lamentável. Gosto bastante da atriz Agnes Bruckner, mas espero que seus futuros projetos sejam mais interessantes do que este. Um talento jovem como este não merece cair no esquecimento com fitas sofríveis do gênero.

Johnny Strangelove said...

na moral ...
eita coragem para ver o filme ...
só quando me derem emprestado irei ver esse filme e ainda é do Ethan kruger, o homem que fez a cagada de estragar o roteiro original de Ringu que faz perder ponto ...

só emprestado mesmo
xerinho

Arthur said...

Falam tão mal desse filme... e tem cara de ser tão chatinho...

PS: O carinha da foto parece o Orlando Bloom!

Abraço

Boa Semana

|| Em Cena ||

Http://arthurbelotto.blogspot.com

Kamila said...

Concordo plenamente, Alex. Seu comentário resume bem meu sentimento em relação ao filme e à Agnes Bruckner.

João, nem emprestado assista!! :-)

Arthur, o carinha da foto é o ator inglês Hugh Dancy, mas não acho que ele lembra o Orlando Bloom. ;-)

Vinícius P. said...

Também não gostei nem um pouco desse longa, que até parece um telefilme muito mal feito. A trama até que tem algo de interessante e como vimos essa história de vampiros funcionou no primeiro "Underworld", mas nesse exemplar achei tudo descartável. Com certeza entra para o top 10 de piores do ano.

Kamila said...

Vinícius, muito bom esse paralelo que você faz entre esse filme e "Underworld". O filme nem cumpre as boas expectativas que a gente tinha nele.