Thursday, February 14, 2008

Juno (Juno, 2007)

Após tomar dois litros de suco de laranja e fazer um teste de gravidez pela terceira vez (todos com resultado positivo), o olhar de Juno MacGuff (Ellen Page, numa fantástica performance que lhe rendeu uma indicação ao Oscar 2008 de Melhor Atriz) não reflete a alegria de uma descoberta esperada. Na realidade, o que a gente vê é medo e apreensão. Afinal, na cabeça dos adolescentes do filme “Juno”, do diretor Jason Reitman, a gravidez é algo que só acontece com suas mães e professoras.

Uma jovem articulada e inteligente, Juno será pega totalmente desprevenida pela descoberta da gravidez – que aconteceu após perder a virgindade com o amigo Paulie Bleeker (Michael Cera, ótimo). Ao contrário do que acontece com outras adolescentes na mesma situação, Juno terá um sistema de apoio fortíssimo. A família – o pai Mac (J.K. Simmons, do seriado “The Closer”) e a madrasta Bren (Allison Janney, do seriado “The West Wing”) – ficará ao seu lado. A melhor amiga Leah (Olivia Thirlby) será a companhia de todas as horas. Por causa disso, o aborto é uma idéia que Juno nem considera. Sua decisão final é entregar a criança para adoção. O casal escolhido é Mark (Jason Bateman) e Vanessa Loring (Jennifer Garner). Os dois são educados e bem de vida e, principalmente, sonham em ter um filho.

Aos poucos, o excelente roteiro da ex-stripper Diablo Cody vai nos mostrando que por trás de tanta normalidade existem conflitos bem complicados. Ao longo dos nove meses de gravidez, Juno passará por um processo de amadurecimento que fará com que ela enxergue coisas que antes lhe passavam completamente despercebidas. Por outro lado, o casal Mark e Vanessa Loring – as vésperas da realização do grande projeto deles como casal – começam a encarar todas aquelas rusgas que são típicas de qualquer relacionamento que possui uma certa história.

Das cinco obras indicadas ao Oscar 2008 de Melhor Filme, “Juno” é o maior sucesso de bilheteria. O êxito contagiou até a trilha sonora da película. Movida pela bela “Anyone Else But You” (cantada pela dupla Ellen Page e Michael Cera), o CD de “Juno” é o mais vendido, nos EUA, de acordo com a lista da revista Billboard. Isto tudo pode ser explicado pelo fato de que o roteiro de Diablo Cody fala sobre gente real, com conflitos verdadeiros e passando por situações que poderiam muito bem acontecer comigo ou com você. “Juno” não é um filme sobre a gravidez na adolescência ou sobre amadurecer. É, na realidade, uma grande história de amor, especialmente sobre o tipo que esperamos encontrar para a vida inteira – seja ele na forma do amor familiar, de mãe, de filho (a), de amigo (a) ou de um parceiro (a).

Cotação: 10,0

Juno (Juno, EUA, 2007)
Diretor(es): Jason Reitman
Roteirista(s): Diablo Cody
Elenco: Ellen Page, Michael Cera, Jennifer Garner, Jason Bateman, Allison Janney, J.K. Simmons, Olivia Thirlby, Eileen Pedde, Rainn Wilson, Daniel Clark, Darla Vandenbossche, Aman Johal, Valerie Tian, Emily Perkins, Kaaren de Zilva

30 comments:

Otavio Almeida said...

10? É o seu primeiro 10 desde A RAINHA? É merecido. E vc fez um belo texto sobre o filme...

Bom, vc sabe o quanto eu gosto desse filme. JUNO tem a minha torcida no dia 24 de fevereiro.

Bjs!

Felipe "Peixe" Gurgel said...

O "poema"é meu sim Kamila. Retratos da realidade... kkkkk..

to doido pra ver esse filme, ainda mais depois dessa cotação...

Bjs!

Museu do Cinema said...

É Kamila, estou numa ansiedade tão grande por Sangue Negro que nem Juno fui conferir ainda...

Pedro Henrique said...

Nossa,10!!!
Tenho que ver Juno. De hoje não passa. Até por que, amanha tem Sangue Negro e quero ver logo a atuação do "Vencedor do Oscar 2008 de melhor ator, Daniel Day-Lewis".

Abraço!!!

Kamila said...

Otavio, por enquanto (já que ainda tenho que assistir "Onde os Fracos Não Têm Vez" e "Sangue Negro"), minha torcida no Oscar é para "Juno". E, se não me engano, dei um 10 para "Em Nome da Honra".

Felipe, não sabia desse seu lado poeta. O texto é ótimo! E assista "Juno".

Cassiano, pois deveria assistir. O filme é maravilhoso e seria um ótimo aperitivo antes de "Sangue Negro".

Pedro, eu adoraria poder assistir a "Sangue Negro", mas o filme não vai estrear por essas bandas.

Victor Nassar said...

Grande texto Kamila! A essência de "Juno" talvez seja inexplicável, difícil tentar descrever o tamanho da grandiosidade que as cenas mais simples do filme possuem. A mensagem é das mais bonitas, o caminho extremamente verdadeiro e sutil, e a satisafação é enorme.
"Juno" vai durar por muitos e muitos anos ainda...=]

Beju!

Weiner said...

Puxa, Kamila, nota 10,0 para "Juno"! Eu quero muito assistir o filme nos cinemas, porr aqui, como não houve pré-estréia, só dia 22 de fev. A cada dia eu aumento mais minhas expectativas acerca do longa, que deve mesmo ser uma história irônica e cheia de irreverência.
Diablo Cody era ex-stripper?! Nossa...
Eu ouvi os trechos da coletânea do filme e gostei muito, devem também ser um atrativo a mais para assistir.
Com essa história também, como não ser recordista de bilheteria?
Abraços.

Vinícius P. said...

Adorei esse filme, mas quero revê-lo quando 'voltar' aos cinemas. Por enquanto considero uma bela comédia que não me conquistou tanto na sua primeira parte, mas que me deixou extremamente emocionado com as últimas cenas - inclusive não canso de escutar "Anyone Else But You" e a trilha como um todo.

Abraço!

Vulgo Dudu said...

Uau! Nota 10! Só por causa disso vou vê-lo neste fim de semana!
Bjs.

Romeika said...

Kamila, me surpreende saber que ao fundo, "Juno" nada mais é do que uma história de amor, amores diversos. Pelo que já me disseram, e pelo valor da sua nota, arrisco a dizer que o filme tem tudo pra ser o meu favorito do ano. Mal posso esperar pra vê-lo.

Ramon Scheidemantel said...

Kamila, sou obrigado a concordar. O filme é sensível. Quase um tratado sobre a descoberta do amor. Apesar do meu parceiro de blog ter desdenhado um pouco a obra, acho que Juno pode sim ganhar algum Oscar importante. Só achei desmerecida a indicação para mehor Direção.
Ellen Page pode levar (não vi o Piaf para comparar) e quem sabe o grande prêmio caia nas mãos de um filme simpático e perfeito.
Grande 10.0!

Kamila said...

Victor, perfeito comentário!

Weiner, como eu disse no meu texto, acho que grande parte do sucesso de "Juno" se deve ao fato de que a história do filme poderia acontecer a qualquer um de nós. A identificação com os personagens é imediata.

Vinícius, não tenho vergonha de admitir que, a partir da cena do parto de Juno, o filme me fez chorar bastante.

Dudu, espero que goste do filme e da simplicidade dele.

Romeika, ainda é cedo, mas "Juno" já é o melhor filme que vi em 2008.

Ramon, acho que as maiores chances de "Juno" no Oscar são para melhor roteiro. A indicação em Diretor é uma grande vitória do filme e as outras um prêmio de consolação. A Ellen Page pode ser zebra em melhor atriz, isso se Cotillard e Christie dividirem os votos (o que acho muito difícil, já que o momento favorece a vitória da atriz inglesa no Oscar).

Beijos.

Museu do Cinema said...

Por enquanto Kamila, só Sangue Negro não tenho cabeça para outra coisa.

Pedro Henrique said...

Então Kamila, vi Juno ontem, gostei muito, muito mesmo. Foi o primeiro filme que vi da Ellen Page e adorei ela, está demais. Como você descreveu, Michael Cera está ótimo também. Roteiro muito bom. Engraçado e muito criativo. Trilha sonora também me agradou. Reitman ainda vai dar o que falar.
Pena, pois eu acho que a única chance de Juno no próximo dia 24, é no roteiro original. Acho que ou Julie e Marion tiram o Oscar de Page. Os irmãos Coen deve levar o prêmio de melhor diretor. E achei uma injustiça Juno não ter sido indicado para trilha.

Abraço!!!

Kamila said...

Então, depois de "Sangue Negro", Cassiano, não deixe de assistir "Juno".

Pedro, concordo que a maior chance de "Juno" no Oscar é em roteiro original. Acho que o filme recebeu as indicações nas categorias certas.

Abraços.

Wally said...

10?? Que bom! Agora que fiquei ansioso mesmo, rsrsrs. Eu vejo (sem dúvida alguma) esse fim de semana ainda. E com altas expectátivas. Por enquanto, aprovei todos os indicados ao Oscar de melhor filme, já que considero todos 3 filmes 5 estrelas (Desejo e Reparação, Onde os Fracos Não Tem Vez e Conduta de Risco). Minha torcida por enquanto é por Atonement mesmo.

Ciao!

Rogerio said...

Nossa, sabia que tinhas gostado mas 10 foi surpresa pra mim. Bom, como sou estranho no ninho quanto a esse filme, reitero apenas que torço pela Ellen, independente de qualquer coisa. mas acho que talvez nao seja a hora dela ainda. Levar um Oscar agora poderia desestruturar a escalada dessa atriz em sua carreira.Vai ser bom lembrar de Juno como uma aperitivo na carreira da Ellen. Tomara que ela continue nos entregando interpretaçoes magníficas como essa.
Meu palpite é que leva de Roteiro sim, é o mais forte.
Bjus!!

Johnny Strangelove said...

Acho que sou um dos poucos que acham o hype do filme exageradissimo ... mas o filme é ótimo ... mas longe de ter um 10 ou obra prima ... mas é um filme gostoso de se assistir e ainda tem grandes atuações ... mas tá dificil ter 10 ...


e não sabia que a roterista era stripper ... sempre descofiei a cara de quenga que ela tinha ...
eheheh

abraços

Kamila said...

Wally, minha torcida é por "Juno" e, dos indicados ao Oscar de Melhor Filme, meu menos favorito é "Conduta de Risco".

Rogerio, eu acho que - se Cotillard ou Christie não vencerem - a Ellen leva o Oscar. Mas, acho que a carreira dela será muito boa. A Page tem uma capacidade ótima de escolher bons papéis e de sempre entregar boas atuações.

João, a Diablo Cody era publicitária e largou a vida para ser stripper. Depois, começou a escrever um blog sobre sua vida nessa profissão e, daí para escrever o roteiro de um filme, foi um pulo. "Juno" não é uma obra-prima, mas merece um 10 por sua simplicidade e por saber se conectar com a platéia.

Bom final de semana!

Johnny Strangelove said...

Agora compreendi o seu 10 ...
Vi duas vezes o filme ... irei rever again ... ehjeheh
abraços

Kamila said...

João, estou doida para assistir "Juno" novamente, mas preciso convencer minha irmã a assistir ao filme comigo. :-)

Beijos.

Alex Gonçalves said...

Dos cinco indicados ao Oscar de Melhor Filme, vi somente dois. E "Juno" já passou para segundo lugar. Gostei bastante do filme, mas não tanto. O resultado seria ainda melhor se a direção de Jason Reitman e o roteiro de Diablo Cody reservasse um tempo maior para os momentos que Ellen Page e Michael Cera dividem a tela. São cenas maravilhosas, mas é uma pena que não são muitas.

Kamila said...

Alex, eu amei Cera e Page neste filme. Confesso que também senti falta de ver mais dos dois juntos na tela, mas eu acho que, no geral, o resultado obtido por Reitman e Cody é excelente.

Vinícius P. said...

Kamila. O momento que mais gostei do filme foi quando toca a música "Sea of Love", começando quando o Michael Cera vai visitar a Ellen Page. Achei tudo aquilo lindo, terminando de forma emocionante com o recado que Juno deixou para a personagem da Jennifer Garner.

Marco said...

Também adorei o filme! O roteiro realmente mereceu os prêmios que venceu. Ellen Page está ótima, assim como todo o elenco, mas me entristece ver Jennifer Garner saindo sem nada depois de uma atuação ótima como essa...

Kamila said...

Vinícius, essa cena da visita do Cera ao hospital é linda. E, com a música "Sea of Love" de fundo, aí é que a gente fica bem emocionado. Quando chegamos ao dueto final, eu já estava completamente entregue ao filme. :-)

Marco, realmente a Jennifer Garner merecia ter sido reconhecida por essa atuação. Mas, a hora dela irá chegar.

Romeika said...

Kamila, eu disse isso ainda me referindo aos filmes de 2007, não as estréias nacionais de 2008 hehe. No momento, "Ratatouille" ainda ocupa o meu primeiro lugar.

Kamila said...

Ah, Romeika. Entendi! :-)

Arthur said...

Belo texto!

Torço muito pelo filme no Oscar!

E todo esse sucesso é merecido!

Realmente um excelento roteiro, sem grandes pretensões, um ótimo elenco, trilha sonora... um pequeno grande filme!

boa Semana

Kamila said...

Arthur, obrigada. Eu também torço muito por "Juno" no Oscar.

Boa semana para você também!