Thursday, March 27, 2008

Coisas que Perdemos Pelo Caminho (Things We Lost in the Fire, 2007)

Brian Burke (David Duchovny) é um bem-sucedido construtor, do tipo que nunca terá problemas com sua conta bancária. No lado pessoal, ele também não tem do que reclamar, já que é muito bem casado com Audrey (Halle Berry) e tem dois lindos e inteligentes filhos chamados Harper (Alexis Llewellyn) e Dory (Micah Berry, que, apesar do mesmo sobrenome, não é parente da sua colega de elenco famosa). É a rotina de sua família que iremos acompanhar na primeira meia hora de “Coisas que Perdemos Pelo Caminho”, da diretora dinamarquesa Susanne Bier. São essas cenas que reforçam o sentimento – a partir da descoberta do falecimento de Brian, em circunstâncias trágicas – de que a morte não é nada justa.

O roteiro de Allan Loeb abroda a maneira como aqueles que sobrevivem encaram a perda. No caso de “Coisas que Perdemos Pelo Caminho”, acompanhamos o que ocorre com a viúva Audrey e com Jerry Sunborne (Benicio del Toro), o melhor amigo de Brian. Enquanto a primeira está doida para encontrar uma maneira de fugir da realidade em que está inserida desde a morte do marido; o segundo – que é um viciado em heroína em recuperação e foi morar com a família Burke, a convite de Audrey – tenta colocar a sua vida nos eixos, ao mesmo tempo em que procura fugir da transferência que é até natural, já que ele não está na residência da família Burke para suprir a ausência de Brian ou substituí-lo.

“Coisas que Perdemos Pelo Caminho” é um daqueles filmes que nos dá uma sensação de deja-vu. Até a dupla de atores principais já interpretou esses personagens anteriormente. Entretanto, é importante notar que o trabalho de Susanne Bier é completamente honesto e a diretora realiza um filme sensível, que nunca descamba para um lado melancólico. O roteiro se interessa pela transformação que acontece com Audrey e Jerry e faz uma analogia muito original entre a morte e a vida sem o vício. Em comum entre as duas situações, o fato de que, para sobreviver, temos que encarar um dia de cada vez.

Cotação: 6,2

Coisas que Perdemos pelo Caminho (Things We Lost in the Fire, EUA, Inglaterra, 2007)
Diretor(es): Susanne Bier
Roteirista(s): Allan Loe
Elenco: Halle Berry, Benicio Del Toro, David Duchovny, Alexis Llewellyn, Micah Berry, John Carroll Lynch, Alison Lohman, Robin Weigert, Omar Benson Miller, Paula Newsome, Sarah Dubrovsky, Maureen Thomas, Patricia Harras, V.J. Foster, Caroline Field

19 comments:

Romeika said...

Concordo com a nota, Kamila, e tb me identifico com essa sensacao de deja vu. Nao eh um filme ruim, ateh achei o mais interessante entre os tres filmes da diretora que vi (nao gostei tanto do filme dela indicado ao Oscar).. E sao boas interpretacoes tb. Aquela cena quase ao fim, na mesa de jantar, passa uma mensagem muito bonita e verdadeira.

E a Alice Lohman? Nem percebi que era ela no filme, mas pensei: "conheco essa atriz de algum filme".. hehe

Romeika said...

Alice-Alison
=)

Kamila said...

Romeika, eu não conheço os trabalhos anteriores da Susanne Bier, mas gostei desse "Coisas". Não é um filme extraordinário, mas fica com a gente naquele momento. Concordo com o que você disse sobre a cena na mesa de jantar.

E a Alison Lohman está irreconhecível mesmo. Está mais velha. Foi muito bom vê-la novamente, já que ela andava sumida.

PS: você escreveu Alice porque estava pensando na minha querida sobrinha, né???? :-)

Eu cansei de escrever Alice Keys na época do Grammy por causa disso! rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsr

Romeika said...

Kamila, quem sabe no meu subconsciente eu nao estava?;-) De qualquer maneira, estive pensando em bebes e criancas hj, uma colega de classe trouxe um album com fotos da filha de um ano, a coisa mais fofa hehehe Alice Keys, Alice Lohman kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Da diretora eu vi o do Oscar (Depois do Casamento?), e "Brothers", o que vai ser refilmado pelo Jim Sheridan.

Kamila said...

Romeika, eu acho que, no seu subconsciente você deveria estar pensando nisso. :-)

Por falar em Alice, ela esteve aqui o dia todo. Estou até te devendo fotos novas dela. Irei mandar.

Ouvi falar de "Brothers" por causa da refilmagem do Jim Sheridan, mas confesso que não sabia que ela teve um filme vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Romeika said...

Nao, Kamila, eu quis dizer aquele indicado ao Oscar (nao venceu), acho que ganhou o titulo em ingles "After the Wedding", eh ate recente, com aquele ator que "chora" sangue no ultimo 007, Mads sei la do que.

Ah, me manda as fotos de Alice, sim;-)

Kamila said...

Sim, Romeika!!!! Vou procurar esse filme do Oscar. Acho que é mais fácil de encontrar do que o "Brothers".

Otavio Almeida said...

Ainda não vi, Kamila. Mas seu texto está excelente. E aproveito pra dizer que tem Edward Norton lá no Hollywoodiano.

Bjs!

Kamila said...

Obrigada, Otavio. Vou no Hollywoodiano agora passar para ver meu querido Edward.

Beijos.

Weiner said...

Este eu não vi, mas pretendo ver. Dia desses li uma crítica do Wally, e até fiquei animado. A sua cotação não é a mais animadora, mas ainda vou alugar o dvd, especialmente para conferir a atuação de Benicio del Toro. A Halle Berry é péssima sempre -ou pelo menos na maioria das vezes.
Ah, andei meio sumido, mas comentei todos os seus posts anteriores, ok? Estou no meio da minha semana de provas, a adrenalina é total :-)
Bjs e abs, boa noite!

Kamila said...

Weiner, eu me animei para assistir a este filme por causa do texto do Wally. As atuações da dupla principal não é animadora, mas a história comove.

Boa sorte na sua semana de provas! :-)

Wally said...

Kamila eu achei um bom filme. Realmente tem essa sensação de deja vu e vários equivocos, mas admirei tambem a honestidade da diretora e apesar de Halle estar apagadinha, achei Del Toro sensacional! O filme tem bela mensagem. Como essa que você indicou, além de achar que é um filme não é só sobre o que perdemos pelo caminho, mas o que podemos ganhar com essas perdas.

Nota 7,0

Ciao!

Rodrigo Fernandes said...

Sempre fiquei ansioso por causa mais do título que me chamou a atenção desde o começo... mas com o que ando lendo sobre o filme, parece que estou imaginando algo muito masi superior do que ele aparenta ser, por isso tenho a ligeira sensação de que irei me desapontar... pelo jeito é um filme bom, mas nem tanto oq eu imagino que ele seja..
beijos

Museu do Cinema said...

Eu fiquei com a sensação de DEJA VU no trailer. Nem me arrisquei.

Kamila said...

Wally, exatamente. Este é um filme que nos passa belas mensagens. Talvez, por isso, o elemento que mais me chamou atenção nele foi o roteiro.

Rodrigo, aconselho a ver o filme sem muitas expectativas. Mas, aprecie a mensagem que ele te passa.

Bom final de semana!

Kamila said...

Cassiano, como eu não assisti ao trailer desse filme, a sensação de deja-vu só veio mesmo durante a sessão. :-)

Bom final de semana!

Pedro Henrique said...

Apesar de achar que o Benicio del Toro esteve ótimo nesse filme, o filme deixou a desejar.
Fiquei com a sensação de que o filme não saia do lugar. Não trocava de marcha.

Abraço!!!

Vinícius P. said...

Não cheguei a considerar um filme ruim, mas sem dúvida é bastante inferior ao trabalho anterior da diretora. As atuações são ótimas (especialmente do Del Toro), mas a história não me tocou da forma como imaginava.

Kamila said...

Pedro e Vinícius, eu não consegui achar a atuação do Benicio del Toro boa. Acho que ele já esteve muito melhor em outros filmes.