Monday, April 21, 2008

Apenas uma Vez (Once, 2007)

Quando subiram no palco do Kodak Theater, no dia 24 de Fevereiro de 2008, para receberem o Oscar de Melhor Canção Original pela belíssima “Falling Slowly”, a dupla Glen Hansard e Marketa Irglova deram um discurso inspirador sobre lutar pelos seus sonhos e, principalmente, sobre a importância de se fazer arte. Tudo o que eles disseram naquela noite pode ser tomado como uma extensão dos temas tratados no filme que eles estrelaram: “Apenas Uma Vez”, do diretor e roteirista John Carney.

O longa foi totalmente rodado em Dublin, capital da Irlanda, e segue e trajetória de um homem (Hansard) que trabalha na pequena loja de consertos do pai e que, nas horas livres, toca seu violão nas ruas da capital irlandesa em busca de ganhar alguns trocados. Em uma noite, sua platéia solitária é formada por uma jovem imigrante tcheca (Irglova) e este encontro irá mudar a vida dos dois.

O roteiro de John Carney utiliza um recurso diferente para explorar as personalidades de seus dois personagens principais. Sabemos o essencial sobre a vida pessoal do homem e da jovem, mas eles se desnudam por completo para nós ao exporem seus sentimentos mais íntimos através da linguagem da música – é aí que entram, além da já citada “Falling Slowly”, canções como “When Your Mind’s Made Up” e “If You Want Me”, entre outras.

Numa época em que os filmes independentes têm cada vez mais cara de produções caprichadas, “Apenas Uma Vez” é um sopro de originalidade e uma volta ao conceito de filmes independentes como forma de experimentação da linguagem cinematográfica. A preocupação do diretor e roteirista John Carney com elementos estéticos como a fotografia, por exemplo, é zero. O grande charme de seu filme é a química genuína existente entre Glen Hansard e Marketa Irglova e as músicas que são resultado do encontro dos dois. E são justamente estes dois elementos que fazem de “Apenas Uma Vez” um dos filmes mais belos e comoventes de 2007.

Cotação: 9,7

Apenas Uma Vez (Once, Irlanda, 2006)
Diretor(es): John Carney
Roteirista(s): John Carney
Elenco: Glen Hansard, Markéta Irglová, Hugh Walsh, Gerard Hendrick, Alaistair Foley, Geoff Minogue, Bill Hodnett, Danuse Ktrestova, Darren Healy, Mal Whyte, Marcella Plunkett, Niall Cleary, Wiltold Owski, Krzysztos Tiotka, Tomek Glowacki

18 comments:

cineresenhas said...

Texto bem animador, Kamila. Na minha opinião, os filmes milionários andam perdendo aquele frescor e mágia de antes, sendo qualidades agora comprovadas nos filmes independentes. E não há dúvidas de que ao notar pela simpatia da dupla, na premiação do Oscar, o resultado do filme deve ser bem especial.

Wally said...

Que inveja! Eu quero muito, muito ver! Mas nada dele chegar aqui. Belo texto. Adoro a trilha.

Ciao!

Luciano Lima said...

Assim que ver esse filme (não vai demorar) volto para comentar, mas seu primeiro paragrafo é bem animador, o discurso da Irglova foi um dos melhores e quase não aconteceu.

Weiner said...

Oi, Kamila, esta semana demorou a passar - pelo menos para mim. Já estava com saudade de comentar pelos blogs... :-)
olha, eu não assisti "Once" até hoje, vai ver por culpa das distribuidoras, que não lançam filmes deste tipo por nada aqui onde eu moro. Deprimente. Aqui só passa blockbusters e outros que foram muito badalados no Oscar.

Sua cotação é das mais animadoras, percebi que seu texto esclarece bastante o que "Once" tem de bom. É claro que vou assistir, basta aparecer a oportunidade.

Grande abraço, bom dia!

Ronald Perrone said...

Gosto da simplicidade dada ao filme...
E as músicas são belíssimas!

Otavio Almeida said...

Oi Kamila! Quero ver ONCE, mas estreou em pouquíssimas (e longes) salas de SP.

Bjs,

Romeika said...

Kamila, que nota inspiradora, e que descricao que vc faz ao fim. Eu estou meio que decepcionada com os filmes considerados "independentes" ultimamente, sinto falta de algo realmente original, e ao mesmo tempo belo, e emocionante. Parece que "Once" eh o que eu procuro.

Ibertson Medeiros said...

Quero muito ver esse filme também.
Já está na lista.

Robson Saldanha said...

Achei interessante a resenha do filme! Entrará na lista dos muitos que assistirei, ou pleo menos pretendo!

Muito bom seu blog, estou te linkando, ok?

Passarei por aqui!!

Abraços!

Johnny Strangelove said...

Simples ... aquele que ninguem acredita ... é o que vai ganhar ... lema para a preimação de melhor canção no Oscar ...

Quero ver urgente o filme ... se estrear por aqui ... se não ... download ... ai vamos noissss!

beijos

Vinícius P. said...

Sou fã da trilha sonora, cada canção melhor que a outra (especialmente "Lies", "If You Want Me" e "Falling Slowly"). É exatamente o tipo de produção que me agrada, mal posso esperar para ver! Abraço.

Rodrigo Fernandes said...

Kamila, a minha raiva é mortal sabendo que o fime não chegará nos cinemas da minha cidade... heheh..
odeio isso, só pq é uma produção indepedente... mas pelo que vc escreveu dá de dez a zero em muito filme considerado obra-prima... tomara que o veja o quanto antes...
foi fantástico o discursso deles no oscar, a projeção que eles tiveram depois da cerimonia é incontestavel, mas tudo por causa unicamente deles... e o talento de ambos...
beijos

Kamila said...

Alex, "Apenas Uma Vez" é um filme charmoso e mais que especial.

Wally, os natalenses deram sorte do filme ter estreado por aqui. Espero que você também possa assistir "Apenas uma Vez".

Luciano, é verdade. Temos que tirar o chapéu para o Jon Stewart. O discurso da Irglova foi um dos momentos mais altos do Oscar 2008.

Weiner, que bom que está de volta. Como "Apenas Uma Vez" estreou na semana passada por aqui, mantenha as esperanças de assistir ao filme.

Ronald, foi justamente isso que eu mais gostei em "Apenas uma Vez".

Otavio, que pena que o filme estreou em pouquíssimas salas. Mas, vale a pena o sacrifício de andar um pouquinho mais para assistir, viu?

Romeika, exatamente. Tenho certeza de que você vai se emocionar com o filme, assim como aconteceu comigo.

Ibertson, não deixe de assistir.

Robson, obrigada pelo comentário e pela visita.

João, não creio que esse filme ainda não estreou em Recife. Acho que essa deve ser a primeira vez que acontece de um filme estrear por aqui e não passar por aí.

Vinícius, após assistir ao filme, virei fã da trilha sonora. Não deixe de ver "Apenas uma Vez".

Rodrigo, eu recomendo muito que veja o filme porque é maravilhoso. Vai ser uma experiência excelente. Espero que as salas de cinema de sua cidade cooperem com você.

Pedro Henrique said...

Hahaha. Sabia que você ia gostar do filme. Ótimas canções, não?

Abraço, Kamila!!!

Kamila said...

Pedro, maravilhosas canções! É impossível não gostar de "Apenas uma Vez".

Ramon Scheidemantel said...

Poxa Kamila, que notão!
Preciso conferir!

Kamila said...

Assista mesmo, Ramon!

Luis said...

Kamila, só discordo de uma coisa: há uma grande preocupação com a fotografia no filme. A câmera, sempre na mão, pode dar a impressão de que esse aspecto foi descuidado - mas a beleza e o rigor das imagens mostram o contrário, que é perfeito. Te chamo a atenção para a cena em que o Hansard compõe uma música assistindo a um vídeo caseiro em que surgem imagens da sua ex-namorada. As imagens (amadoras em sua aparência) são belíssimas, totalmente casadas com a música, demonstrando que, como a própria música, a fotografia não escapou das preocupações do diretor. Abraço