Tuesday, September 04, 2007

Emmy 2007 - Supporting Actress in a Comedy Series

Outstanding Supporting Actress In A Comedy Series

My Name Is Earl • NBC • Amigos de Garcia Production in association with 20th Century Fox Television
Jaime Pressly as Joy Turner
Histórico no Emmy:
2 indicações e nenhuma vitória
Episódio: “Jump for Joy”
Jaime Pressly pode se considerar como a grande injustiçada do Emmy 2006. Indicada nesta mesma categoria, ela tinha o melhor episódio dentre as indicadas, mas acabou perdendo a estatueta para Megan Mullally, que vinha com o final de temporada de “Will & Grace”. Ela volta novamente, neste ano, buscando seu Emmy pelo retrato perfeito de Joy Turner, a ex-mulher encrenqueira e interesseira de Earl Hickey (Jason Lee). Em “Jump for Joy”, apesar do episódio se referir à personagem de Pressly em “My Name is Earl”, toda a história tem foco em Earl (Jason Lee, mais uma vez injustiçado pelo Emmy) e em como ele vai conseguir o dinheiro para a fiança de Joy, que se meteu em encrencas depois de roubar o caminhão de uma loja. Um erro fatal que custará o Emmy de Supporting Actress in a Comedy Series para a atriz.

The Office • NBC • Deedle-Dee Productions, Reveille, LLC, in association with NBC Universal Television Studio
Jenna Fischer as Pam Beesly
Histórico no Emmy:
Primeira indicação
Episódio: “The Job”
Jenna Fischer virou uma das atrizes mais queridas de “The Office” pela apreensão existente em cima do possível romance entre a doce Pam e o bonitão Jim (John Krasinski). Ela chega ao Emmy graças ao episódio “The Job”, que, justamente, é mais um capítulo que trata do assunto Jim e Pam. O roteiro do episódio coloca Pam tendo que lidar com as conseqüências da sua declaração para Jim no último capítulo (ela disse que sentia falta da amizade dos dois) e com a possibilidade de Jim se mudar para NY ao ser promovido na empresa. A atuação de Fischer é contida e adequada ao momento que sua personagem está passando. A penúltima cena de “The Job” é um dos melhores momentos da temporada 2006-2007 e Fischer está excelente nela. Uma performance para brigar pelo Emmy de Supporting Actress in a Comedy Series.

Two And A Half Men • CBS • Chuck Lorre Productions, Inc., The Tannenbaum Company in association with Warner Bros. Television
Holland Taylor as Evelyn Harper
Histórico no Emmy:
4 indicações e uma vitória como Best Supporting Actress in a Drama Series por “The Practice” (1999).
Episódio: “The Sea is a Harsh Mistress”
Uma atriz experiente no trabalho na TV, Holland Taylor está de volta ao Emmy pelo seu retrato como Evelyn Harper, a mãe de Charlie (Charlie Sheen) e Alan Harper (Jon Cryer). Em “The Sea is a Harsh Mistress”, após passar por uma experiência de quase morte, Charlie recebe uma mensagem do pai: “cuide da sua mãe”, a quem ele e Alan meio que odeiam. O resultado é um almoço no dia seguinte entre Charlie, Alan e Evelyn. A segunda parte desse episódio, após a cirurgia de Evelyn, é sensacional do ponto de vista cômico – fato este que coloca Holland Taylor numa posição privilegiada para lutar pelo Emmy de Supporting Actress in a Comedy Series.

Two And A Half Men • CBS • Chuck Lorre Productions, Inc., The Tannenbaum Company in association with Warner Bros. Television
Conchata Ferrell as Berta
Histórico no Emmy:
3 indicações e nenhuma vitória
Episódio: “Repeated Blows to His Unformed Head”
Numa das indicações mais surpreendentes do Emmy 2007, Conchata Ferrell reaparece como um reflexo de todo o amor dispensado pela Academia de Artes e Ciências Televisivas ao seriado “Two and a Half Men”. No episódio “Repeated Blows to His Unformed Head” (o mesmo submetido por Jon Cryer), Berta recebe a visita da filha caçula Naomi (Sara Rue, numa participação especial), que está grávida. Berta não consegue acreditar como sua filha – que ela acreditava ter um futuro brilhante – se meteu numa roubada dessa. Com a ajuda de Charlie (Charlie Sheen), ela vai atrás do homem casado que engravidou sua filha. Ferrell tem as melhores tiradas cômicas do episódio e sua performance é boa.

Ugly Betty • ABC • ABC Studios
Vanessa Williams as Wilhelmina Slater
Histórico no Emmy:
Primeira indicação
Episódio: “Don’t Ask Don’t Tell”
O Emmy corrigiu uma grande injustiça cometida pelos shows de premiações neste ano de 2007, ao indicar Vanessa Williams pela sua performance camp, exagerada e completamente viciante de Wilhelmina Slater. A vilã criada por Vanessa é um daqueles tipos que a gente ama odiar. Pena que Vanessa não retribui a gentileza do Emmy ao decidir escolher um episódio fraquíssimo para brigar pela estatueta. Quem assiste “Ugly Betty” regularmente, sabe que o grande sonho de Wilhelmina Slater é se transformar na editora-chefe da revista “Mode”. Quando a disputa de poder pela revista começa a se agravar entre os irmãos Daniel (Eric Mabius) e Alexis (Rebecca Romijn), Wilhelmina percebe que tem que mudar seu plano e decide dar em cima do poderoso Bradford Meade (Alan Dale). Se tivesse escolhido um melhor episódio, Vanessa seria uma das favoritas ao Emmy de Supporting Actress in a Comedy Series. Como ela não o fez, deve assistir de camarote à vitória de outra indicada.

Weeds • Showtime • Showtime Presents in association with Lions Gate Television and Tilted Productions
Elizabeth Perkins as Celia Hodes
Histórico no Emmy:
2 indicações e nenhuma vitória
Episódio: “Pittsburgh”
Ao lado de Mary-Louise Parker e Justin Kirk, Elizabeth Perkins forma o trio de ferro por trás do seriado “Weeds”. Em “Pittsburgh”, season finale da segunda temporada do seriado, a personagem de Perkins, Celia, aparece bêbada em todas as cenas. Além disso, ela está em uma busca por Silas (Hunter Parrish), o filho mais velho de Nancy (Mary-Louise Parker), que roubou as suas câmeras de vigilância. A melhor cena dela é quando Celia confronta Nancy na cozinha. Ao escolher um episódio em que ela tem pouquíssimo tempo em cena, Perkins se retira da corrida pelo Emmy de Supporting Actress in a Comedy Series.

Rankings:
1. Holland Taylor, “Two and a Half Men”
2. Jenna Fischer, “The Office”
3. Conchata Ferrell, “Two and a Half Men”
4. Vanessa Williams, “Ugly Betty”
5. Jaime Pressly, “My Name is Earl”
6. Elizabeth Perkins, “Weeds”

Quem vai ganhar? Jenna Fischer, “The Office” – numa categoria em que não existe uma clara favorita, Jenna deve ganhar muito mais pela incompetência das favoritas na teoria, como Vanessa Williams e Jaime Pressly.
Fique de olho em: Holland Taylor, “Two and a Half Men” – ela tem o episódio mais engraçado entre as cinco indicadas e, além disso, é uma atriz querida pela Academia de Artes e Ciências Televisivas; e Conchata Ferrell, “Two and a Half Men” – ao lado de Vanessa Williams, a única atriz desta categoria que sabe mandar uma tirada cômica como ninguém.

6 comments:

Vinícius P. said...

Minhas favoritas (Vanessa Williams e Elizabeth Perkins) fizeram escolhas de espisódio bem discutíveis mesmo, dando espaço para a vitória da Jenna Fischer, que nem é la a melhor da categoria... Minhas apostas:

1. Jenna Fischer
2. Vanessa Williams
3. Holland Taylor
4. Jamie Pressly
5. Elizabeth Perkins
6. Conchata Ferrell

Abraço!

Romeika said...

É interessante isso do Emmy, de vc ter que escolher um episódio da série pra disputar um prêmio, affff. A Vanessa Williams está muito bem em "Ugly Betty", adoro a cara de má que ela faz com as sobrançelhas,são tantas cenas memoráveis. Como não conheço a performance das outras, torço por ela.

re:Aquele tubinho preto da Audrey é lindo mesmo. Tudo que ela vestiu não apenas virou moda na época como ainda é usado por muitas mulheres hj em dia, ela primava pelo clássico e não se importava com tendências passageiras.

Kamila said...

Vinícius, minha favorita pessoal (a Vanessa Williams) fez um favor para a Jenna Fischer. Não me entenda mal. A Fischer é uma boa atriz, mas nem merecia ganhar ainda por "The Office". Se o Emmy considerasse a temporada como um todo, a Vanessa deveria ser a vencedora. No entanto, mesmo apontando a vitória da Jenna Fischer, não me surpreenderia se ela perdesse o Emmy, porque, como eu mesma comentei, a categoria de atriz coadjuvante em série de comédia não tem uma favorita.

Romeika, eu também torço pela Vanessa, mas está difícil de ela vencer o Emmy... E eu questiono muito o método de votação da premiação. Acho meio injusto você ter que escolher somente um episódio que resuma tudo aquilo de melhor que você fez. Às vezes, temos um ator que nem foi tão bem assim na temporada regular, mas tem um episódio fantástico e ganha o Emmy. É injusto, mas é como o sistema funciona.

Romeika, é até interessante você comentar isso sobre a Audrey, porque eu estava conversando sobre ela com uma amiga um outro dia e ela me disse que acha impressionante como a filosofia da Audrey continua viva até hoje. Ela, que trabalhou com a Audrey na UNICEF, disse que a própria ficaria muito surpreendida se soubesse que é tão admirada até hoje. Parece que a Audrey não tinha uma clara noção de como ela inspirava as pessoas.

Beijos.

Romeika said...

Sim, Kamila, também fiquei questionando esse método, é muito injusto mesmo resumir uma temporada toda de trabalho em um único episódio. afff..

Nossa, deve ser interessante conhecer a opinião de uma pessoa que conheceu a Audrey ainda viva, que máximo. Interessante ela dizer isso, pq ela já inspirava as pessoas ainda viva. E ainda continuará inspirando por muitos e muitos anos. beijos!

Kamila said...

É interessante conhecer uma pessoa que esteve em contato com a Audrey porque a gente vê que, realmente, a Audrey era uma pessoa graciosa e adorável. A filosofia dela continuará viva por muitos anos, com certeza.

Beijos.

Vinícius P. said...

Eu também gosto da Jenna Fischer, mas concordo com você no sentido de que há candidatas melhores - especialmente a Vanessa Williams. De qualquer forma, torço muito para ela ainda...