Tuesday, October 02, 2007

Escorregando Para a Glória (Blades of Glory, 2007)

Em 1994, as famosas patinadoras Nancy Kerrigan e Tonya Harding (dos EUA) se envolveram em uma série de acontecimentos que poderia estar muito bem em um ótimo filme de suspense. Rivais nas pistas de patinação artística e companheiras na seleção norte-americana do esporte, as duas ganharam notoriedade – da maneira errada – quando Harding mandou seu ex-marido contratar um homem para atacar Kerrigan. O homem atingiu a patinadora no joelho, forçando-a a deixar uma competição e, em conseqüência, o caminho livre para que Harding atingisse a glória. Após descoberta a armação, a confederação de patinação artística baniu Harding do esporte, enquanto Kerrigan continuou com sua bem-sucedida carreira e, no mesmo ano do ataque, conquistou a medalha de prata nas Olimpíadas de Inverno de Lillehammer.

A dupla Chazz Michael Michaels (Will Ferrell) e Jimmy MacElroy (Jon Heder, do sucesso “Napoleão Dynamite”) são os equivalentes masculinos de Nancy Kerrigan e Tonya Harding. Excelentes patinadores; os dois, fora da pista de patinação, vivem se envolvendo em ataques verbais e provocações normais de quem está em uma constante luta pela vitória. Em uma competição, no ano de 2002, Chazz e Jimmy dividem a medalha de ouro, mas, no pódio, a situação se complica quando eles começam uma briga horrorosa. Resultado: a confederação de patinação artística confisca a medalha que eles conquistaram e os proíbe de participar de qualquer competição promovida por eles.

Após esse pequeno contratempo, a trama de “Escorregando Para a Glória”, dos diretores Josh Gordon e Will Speck, começa a seguir a decadência de Chazz – que se entrega de vez ao vício em álcool e trabalha num show de patinação de quinta categoria – e de Jimmy – que trabalha como vendedor em uma loja de artigos esportivos – até que o último decide tentar mais uma vez a patinação artística, dessa vez atuando em uma dupla. A situação sofre um revés quando o técnico (Craig T. Nelson) de Jimmy decide chamar Chazz para fazer uma dupla com ele, o que faz dos dois inimigos o primeiro par completamente masculino da história da patinação artística – e que fará concorrência direta com os irmãos imbatíveis Stranz (Will Arnett, do seriado “Arrested Development”) e Fairchild Van Waldenberg (Amy Poehler, do “Saturday Night Live”).

“Escorregando Para a Glória” é um filme que encontra seus melhores momentos nas cenas em que Chazz e Jimmy estão em confronto direto. Os dois têm personalidades muito diferentes e têm que aprender a trabalhar estas diferenças em prol da dupla que eles formaram. Além dessas cenas, o trabalho desenvolvido pelos atores e pelos diretores nas cenas que retratam as competições e as rotinas de patinação artística são simplesmente sensacionais e engraçadíssimas. “Escorregando Para a Glória” é um filme que não se leva a sério e seu charme é justamente esse.

Cotação: 7,3

Escorregando para a Glória (Blades of Glory, EUA, 2007)
Diretor(es): Josh Gordon, Will Speck
Roteirista(s): Busy Philipps, John Altschuler, David Krinsky, Craig Cox, Jeff Cox
Elenco: Will Ferrell, Jon Heder, Will Arnett, Amy Poehler, Jenna Fischer, William Fichtner, Craig T. Nelson, Romany Malco, Nick Swardson, Scott Hamilton, Andy Richter, Greg Lindsay, Rob Corddry, Nick Jameson, Tom Virtue

17 comments:

Museu do Cinema said...

Não gosto dessas comédias satiricas do Will Ferrell, acho uma continuação do SNL, o nosso Zorra Total.

Mas ele é um bom ator, provado no excelente Mais Estranho que a Ficção.

Luciano Lima said...

Falou tudo, Kamila. Escorregando para a glória é um filme despretencioso no sentido de história, mas ambicioso na hora de tentar fazer graça para o espectador. As cenas de patinação são engraçadíssimas mesmo, de direção à trilha sonora, são de longe os momentos mais inspirados. Também gostei do trabalho da Jenna Fischer, apesar de praticamente repetir a doce (e lerdinha) Pam do The Office.

Vinícius P. said...

Que bom, Kamila, também achei esse filme bem divertido - na verdade, era a melhor comédia do ano ao lado de "O Balconista 2", até que "Ligeiramente Grávidos" chegou. Você falou tudo! Realmente os melhores momentos são os números de patinação, engraçadíssimos (especialmente o último, não só da dupla, como dos concorrentes - satirizando a Marilyn Monroe).

Abraço!

Marcus Vinícius said...

Uma galera já me falou bem desse filme, mas eu não consigo ir com a cara do Ferrel, não consigo achar ele no mínimo legal. Devo assistir, mas vai ser como Melinda E Melinda: "pô, podiam tirar esse loco do filme", hehehe!

Beijos

Victor Nassar said...

Eu realmente não consigo ter vontade de assitir esse filme...
Não gosto muito do Will Ferrell.
Acho que também peguei abuso desses filmes que tem competição e o desfecho parece sempre ser o mesmo, o dia da disputa e aquele clima de empolgação... Não sei, já virou meio que um rótulo de filme aventurinha simples pra mim...hehehe



Beju!

Johnny Strangelove said...

Eu gostei muito do filme ... BOOM ...
e pelo jeito que esse ano a banda tocou, se junta com Borat como uma das melhores comedias do ano ... BOOM ...

E Jon Heder está impagavel nesse filme ... "você é impuro, vc é mal ..." ahahahahh

e trilha ... melhor impossivel
vale a pena ver e rever ...

Kamila said...

Cassiano, o Will Ferrell é excelente ator. E gosto muito de filmes de comédia assim, que não se levam a sério.

Luciano, eu não gostei muito da Jenna. Como você mesmo disse, achei que ela interpretou uma variação da Pam. Queria vê-la fazendo algo diferente.

Vinícius, eu amei os números de patinação, especialmente o de "I Don't Wanna Miss a Thing".

Ah, Marcus, você deveria dar uma chance ao Farrell, porque ele é ótimo.

Victor, mas esse filme meio que foge dos rótulos. Claro que tem os clichês, mas o que interessa aqui são as diferenças dos dois patinadores e como eles conseguem trabalhar juntos.

João, eu não consigo gostar do Jon Heder. Acho que é trauma de "Napoleão Dynamite".

Wally - Cine Vita said...

Me diverti muito vendo esse filme e dei altas risadas com a dupla. Pessoalmente, acho que Jon Heder roubou muitos momentos. Acho que o filme começou genial mas foi decaindo ao longo dos minutos, se tornando um tanto extravagante, exagerado e pouco satisfatório. De qualquer forma, é uma inspirada e contundente comédia, com figurinos e coreografias hilárias, incluindo uma dupla de vilões irresistíveis.

Nota 6,5

Kamila said...

Wally, também ri bastante com esse filme. Concordo um pouco a respeito do exagero e da extravagância. Mas, acho que isso acontece justamente porque o filme não se leva a sério. Os figurinos e as coreografias são hilárias e as rotinas foram as minhas partes favoritas do filme.

Felipe Nobrega said...

oi kamila,
só pra avisar, depois de um tempo afastado por causa da faculdade voltei, e passa lá pra tomar um café!
abarços

Museu do Cinema said...

O problema não é que não se levem a sério, o problema é que um pouco de roteiro é sempre bom, não falo desse filme, que não vi, mas acho que os norte-americanos estão cada vez mais exportando esse tipo de comédia onde as caretas são mais importantes que o texto.

Johnny Strangelove said...

Deverias esquecer desse trauma ...
deverias relaxar ... o jeito dele é interessante ... me faz rir só de ver ele ... ehehe

mas eu lhe disse que o filme que é bom demais ...

e sobre o tema ... ele até que explorou legal já que o proprio tema é dificil de fazer algo além do esperado ...

Kamila said...

Felipe, vou passar lá no Café Pequeno. Obrigada pelo aviso.

Cassiano, existem muitos filmes de comédias assim. Mas, existe também uma nova safra de filmes de comédia com roteiros legais, exagerados e muito engraçados. "Escorregando Para a Glória" é um desses filmes.

João, eu sei que tenho que deixar de lado a decepção que foi "Napoleão Dynamite", mas eu não consigo. Jon Heder sempre me parece ser o ator de uma nota só.

Vulgo Dudu said...

Nossa, eu procuro esse filme há muito tempo para alugar/baixar e não acho... Me deu mais vontade ainda de vê-lo. Will Ferrel é sensacional e Jon Heder tem um belíssimo futuro pela frente.

Abs.

Kamila said...

Eu adoro o Will Ferrell, e acho que ele é um ótimo comediante. O filme é ótimo, Dudu.

Juan Ferrera said...

Existe uma filme que não sei o nome e 2 patinadores que disputam o filme todo (longa metragem?) no fim uma faz plástica e praticamente transforma-se numa chinesa. no decorres do film uma joga detergente no gelo e a outra cai. uma é magra a outra é gordinha....se alguem conhecer manda-me o nome do filme. Procuro há tempos...joaodance@msn.com valeu

liz said...

Não o pode perder o segundo espisódio da nova série de comédia da HBO, os primeiros avanços de Vice Principals são exepcionais, além de não poder negar que a participação de McBride e Walton Goggins juntos é estremamente barulhenta, já que são atores muito peculiares e de bom físico. Não acham? Enfim, a serie gira em torno da feroz e louca rivalidade que é estabelecida numa escola norteamericana entre os sub-directores da mesma. Da programação da hbo,parece ser uma boa proposta, eu recomendo muito.