Thursday, October 25, 2007

Instinto Secreto (Mr. Brooks, 2007)

Em “Manhunt”, um dos episódios da – até agora – fantástica terceira temporada do seriado “The Closer”, a equipe da Deputy Chief Brenda Leigh Johnson (Kyra Sedgwick) tenta desvendar a identidade de um famoso serial killer da região que havia passado alguns anos sem fazer novas vítimas. O que a equipe descobre é que, enquanto esteve casado, o assassino deixou de atuar, voltando à ativa somente após descobrir que sua esposa iria se casar novamente.

No caso do serial killer – e personagem principal do filme “Instinto Secreto”, do diretor Bruce A. Evans (que co-escreveu o roteiro do filme ao lado de Raynold Gideon) – Earl Brooks (Kevin Costner), a pausa nos crimes se deu pela vontade de levar uma vida normal e que não oferecesse riscos à esposa Emma (Marg Helgenberger, atriz do seriado “C.S.I. – Crime Scene Investigation”) e à filha Jane (Danielle Panabacker). No entanto, o estopim para a sua volta não foi uma razão sentimental, e sim o instinto mesmo que ele tem de matar outras pessoas.

Brooks é extremamente cuidadoso em seus crimes e age de maneira nada suspeita, tendo em vista que é um empresário famoso, o Homem do Ano na cidade aonde mora, um marido amoroso e um pai compreensivo. Toda essa “invisibilidade” é colocada em risco quando ele é fotografado pelo Sr. Smith (Dane Cook, num papel completamente diferente de tudo o que ele fez até agora na carreira) em uma das cenas de crime. O Sr. Smith tem um peculiar interesse pelo hobby do Sr. Brooks e, em troca da manutenção de seu segredo, pede que este o leve em todas as suas expedições criminosas.

“Instinto Secreto” encontra seus melhores momentos quando aborda a rotina diária da família Brooks e todo o relacionamento que se estabelece entre o Sr. Brooks, Marshall (William Hurt) – que é uma espécie de voz interior do serial killer – e o Sr. Smith. O filme, no entanto, por vezes se perde em uma trama paralela que envolve a tentativa de acordo de divórcio entre a Detetive Tracy Atwood (Demi Moore) – a encarregada pela investigação dos crimes cometidos por Brooks – e o interesseiro Jesse Vialo (Jason Lewis).

Se os melhores momentos do filme são aquelas cenas em que vemos a vida dupla do Sr. Brooks, fica óbvio que quem brilha no filme é a dupla Kevin Costner e William Hurt. Deliciosamente irônicos e, algumas vezes, completamente exagerados, os dois formam um par completamente inusitado e que faz com que “Instinto Secreto” não seja metade da bomba que prometia ser.

Cotação: 4,0

Instinto Secreto (Mr. Brooks, EUA, 2007)
Diretor(es): Bruce A. Evans
Roteirista(s): Bruce A. Evans, Raynold Gideon
Elenco: Kevin Costner, Demi Moore, Dane Cook, William Hurt, Marg Helgenberger, Ruben Santiago-Hudson, Danielle Panabaker, Aisha Hinds, Lindsay Crouse, Jason Lewis, Reiko Aylesworth, Matt Schulze, Yasmine Delawari, Michael Cole, Jim Farnum

16 comments:

Museu do Cinema said...

Poxa, tava até afim de ver esse filme Kamila, confesso que muito devido a Demi Moore, mas pela trama complicada acho que vou correr.

Kamila said...

Cassiano, a trama da Demi Moore é a mais chata de todas. Acho que o filme deveria estar centrada mesmo no Sr. Brooks. Ele é o personagem mais interessante do filme, com sua voz interior Marshall.

Dewonny said...

Eu achei razoável, como passatempo esse filme até q serve, poderia ter sido melhor se o roteiro tive-se sido melhor trabalhado, mas é inegável q Costner e Hurt estão muito bem no filme, o q faz do msm valer a pena, Demi Moore é q foi bem desperdiçada e fora de foco a coitada, nota 5.5! Abs!

Vinícius P. said...

Esse filme é bem fraquinho mesmo. O pior é que esperava algo acima da média, até porque gosto do elenco - sempre torci pelo "retorno" do Kevin Costner e da Demi Moore. Não gostei muito do William Hurt - seu personagem é ótimo, mas achei a atuação um pouco acima do tom. Se não me engano, "Instinto Secreto" pode ter uma continuação no próximo ano.

Abraço!

Museu do Cinema said...

Então a Demi se acabou depois de casou com o Kutcher?

Saudade então de Striptease!

Brincadeira, mas gostava dela em Assédio Sexual e Proposta Indecente, e claro Ghost!

Ver onde ela foi parar é decepcionante.

Kamila said...

Dewonny, concordo. Se o roteiro do filme tivesse sido melhor trabalhado, o resultado poderia ser outro completamente diferente.

Vinícius, o engraçado foi que, assistindo ao filme, tive essa sensação de retorno. William Hurt, Demi Moore e Kevin Costner faz tempo que não fazem algo bom. E não acredito que irão fazer uma continuação para este filme. Será que é algo centrado na filha do Brooks???

Cassiano, a Demi se acabou faz tempo. Desde antes do Kutcher. Acho que "Ghost" foi o ápice da carreira dela. Depois, a Demi entrou numa série de papéis estereotipados e "Até o Limite da Honra" foi o "kiss of death" dela.

Ramon Scheidemantel said...

Nossa! O Kevin Costner deveria parar de trabalhar e fazer um blog de cinema. hehe!
A que ponto chega a um ator falido: quando ele vai bem recebe um mero 4, conseguindo fazer que o filme não seja a "metade da bomba" esperada. hehe!
Já senti o nível do filme. Sigo adiando o momento de assisti-lo.

Romeika said...

Nossa, dois atores acabados, então. Quem foi a Demi Moore e o Kevin Costner... Ambos dois dos maiores astros e estrelas da década de 90. Não me interessei nem um pouco por esse filme, nem vontade de alugar eu tenho.

Marcus Vinícius said...

O Willian Hurt eu acho um baita ator, já o Kostner não acho muita coisa, apesar de estar bem em 'Dança com Lobos' e 'Os Intocáveis'. É, eu também correrei desse aí, hehe.

Beijos, ótimo findi! =]

Vulgo Dudu said...

A funcionária da locadora bem tentou me empurrar esse filme. Pelo que li aqui, ainda bem que recusei! Não faz meu tipo...

Museu do Cinema said...

Concordo Kamila, muita gente se acaba em Hollywood por isso.

Lembro que a Demi Moore era nome certo! Hj tá relegada a segundo, ou terceiro plano!

Obrigado pela lembrança do Tornatore!

Kamila said...

Ramon, realmente é impressionante até que ponto chegou a carreira do Kevin Costner. Ainda acho que, desde que ele tentou retomar a carreira, seu melhor filme foi "The Upside of Anger", com a Joan Allen.

Romeika, é uma pena que dois astros desse porte causem esse tipo de reação na gente quando lançam seus novos filmes.

Marcus, pelo menos o William Hurt foi recentemente indicado ao Oscar... Os outros dois... rsrsrsrsrsrs

Dudu, olha que história engraçada. Quando eu cheguei no cinema para pegar meu ingresso, a bilheteira me disse que este filme era ótimo. :-)

De nada, Cassiano. E é uma pena mesmo o que aconteceu com a Demi Moore, porque, na época dela, ela era a maior atriz de Hollywood.

Beijos e bom final de semana!

Museu do Cinema said...

e uma das mais belas Kamila...

Wally - Cine Vita said...

Eu me diverti vendo esse filme que apesar de momentos muito superficiais e desnecessários, soma tudo com um clímax excelente, além de boas atuações do elenco.A dupla Hurt-Costner realmente é a melhor coisa do filme. Um guilty pleasure.

Nota 6,0

Alex Gonçalves said...

Kamila, me desculpe pela ausência por aqui. Acontece que estou com muitas coisas a serem feitas por aqui, o que está me impedindo de estar conectando a Internet com frequência.

Resumindo, gostei muito de "Instinto Secreto", um dos meus suspenses prediletos deste ano. E Demi Moore é uma das minhas atrizes prediletas e, apesar de alguns deslizes na carreira - (e qual atriz não tem algum?), pela não perdeu o prestígio. Esteve excelente em "Bobby", deve estar impecável em "Flawless" e sua presença em "Instinto Secreto" só tornou a trama ainda mais interessante. Bem eletrizante a sequência do furgão e o tiroteio no clímax.

Kamila said...

Cassiano, mas a beleza dela continua intacta. A Demi continua muito bonita.

Acho que você conseguiu resumir este filme bem, Wally. Um guilty pleasure total.

Sem problemas, Alex. "Instinto Secreto", para mim, só funcionou mesmo por causa da dupla Hurt e Costner.