Friday, December 14, 2007

30 Dias de Noite (30 Days of Night, 2007)

Todos os anos, durante o inverno, a cidade de Barrow, no Alasca, fica isolada de tudo – e de todos – num período que eles chamam de 30 dias de noite (quando o sol desaparece por completo). Nem todos os moradores da cidade permanecem em Barrow durante esta vivência, e os poucos que ali ficam têm que lidar com o frio intenso e o cuidado geral com racionamento de alimentos e de energia. Não é de se estranhar que, para fins dramáticos, seja justamente neste mês de completa escuridão que os bravos moradores de Barrow tenham que enfrentar um grupo de vampiros sedentos – cujo líder é Marlow (Danny Huston) – doidos para não deixarem nenhum sobrevivente para contar a história.

Baseado em uma popular HQ escrita por Steve Niles e Ben Templesmith (o primeiro co-escreve o roteiro do filme ao lado de Stuart Beattie e Brian Nelson), “30 Dias de Noite”, do diretor David Slade, além de mostrar o terror causado pelos vampiros sedentos, enfoca a luta de um grupo pequeno de moradores de Barrow pela sobrevivência. O interessante aqui é que a vida de todos eles está nas mãos de um casal que acabou de se separar – o xerife Eben Oleson (Josh Hartnett) e a bombeira Stella Oleson (Melissa George, conhecida pela sua participação no seriado “Alias”) – e que aproveitará a situação também para resolver qualquer pendência que tenha ficado entre eles.

O diretor David Slade – que estreou no cinema com o ótimo suspense “MeninaMá.com”, que revelou o talento de Ellen Page – surpreende ao criar um filme que causa uma sensação bastante incômoda no espectador. Nada ajuda o fato de que a gente assiste ao filme numa sala totalmente escura, com um clima extremamente frio – o que faz com que a gente se sinta exatamente ao lado dos personagens que estão em Barrow. Com uma concepção visual bastante interessante, em que predomina os tons em preto e branco (a cor mais berrante que vemos em tela é o sangue – abundante – das vítimas do grupo de vampiros), “30 Dias de Noite” ressalta o belo trabalho de fotografia feito por Jo Willems e pelo editor Art Jones.

Uma outra ressalva pode ser dada ao elenco do filme. A começar por Ben Foster, que interpreta um vândalo que é somente o primeiro prenúncio de que maiores problemas vêm por aí; passando por Danny Huston, que aparece com um ar assustador; e chegando, finalmente, a Josh Hartnett. O personagem que ele interpreta é o tipo de herói perfeito para esse tipo de história: um homem que tem consciência de suas responsabilidades e que está disposto a qualquer tipo de sacrifício para ver os outros conseguirem um final feliz – se é que isso é possível em um filme como “30 Dias de Noite”, em que a exaustão física e mental é tão grande que a jornada vivida pelos personagens é uma daquelas que definem toda uma vida.

Cotação: 7,8

30 Dias de Noite (30 Days of Night, Nova Zelândia, EUA, 2007)
Diretor(es): David Slade
Roteirista(s): Steve Niles, Stuart Beattie, Brian Nelson
Elenco: Josh Hartnett, Ben Foster, Melissa George, Danny Huston, Mark Boone Junior, Kate O'Rourke, Craig Hall, Manu Bennett, Amber Sainsbury, Mark Rendall, Joel Tobeck, Megan Franich, Ben Fransham, Camille Keenan, Elizabeth Hawthorne

18 comments:

Rogerio said...

Essa coisa do Alaska é inspiradora mesmo. Lembro de "Insonia", quando o Chris Nolan ressaltou o contrario - a claridade constante lá no verão, é que abalava as estrururas mentais dos não-nativos.

To doido pra ver e sse filme Kamila, e tua resenha me instigou ainda mais.

Kamila said...

Rogerio, assistindo a este "30 Dias de Noite" me lembrei muito de "Insônia". E assista mesmo ao filme.

Bom final de semana!

Ramon Scheidemantel said...

Já estou aguardando o filme faz tempo. Sua resenha tá legal! O filme deve ser bom mesmo.
Não entendi onde você quis chegar com a descrição do herói perfeito. Ficou forçado?

Ah, valeu pela dica do MeninaMá.com.
Nunca me empolguei de assisti-lo, aí com o "ótimo" do lado já traz uma boa perspectiva.

Rogerio said...

Pra vc tb :-)
Teh mais!

Kamila said...

Ramon, o filme é ótimo. Uma agradável surpresa até mesmo para mim, que não sou muito fã de derramamento de sangue em filmes. :-)

O herói não é nada forçado. Ele é muito bem construído e a gente entende todas as motivações dele. A ressalva que eu faço é em relação ao final feliz. Mesmo que ele exista, não tem essa sensação, entende? Porque os personagens passam por muitas provações.

E "MeninaMá.com" é um ÓTIMO filme. Recomendo.

Bom final de semana!

Vinícius P. said...

Fiquei curioso a respeito de "30 Dias de Noite" depois de ler a crítica do Otavio e também após um amigo ter dito que era o melhor filme do gênero nesse ano. Eu não gosto de "Menina Má.com", mas ainda assim seus comentários me animaram para ver esse novo filme do David Slade.

Abraço!

Kamila said...

Vinícius, eu fui ao cinema esperando que "30 Dias de Noite" fosse mais um filme de terror, mas fui surpreendida. O trabalho realizado pelo David Slade foi muito bom.

Abraço.

Museu do Cinema said...

Quer dizer que o filme é bom Kamila? Mas não é meu estilo.

Otavio Almeida said...

Uai! Eu já disse que é bom! A Kamila concordou!! O que vcs estão esperando????? :-))

Abs a todos! Bom final de semana!

Johnny Strangelove said...

Assim
achei comum para o que já vi no genero ... em um ano que teve muitos altos e baixos ... esse filme fica no meio ...
e ninguem tira o posto de O Hospedeiro do melhor filme de horror do ano ...

e ainda bem que o inutil do Sam Raimi acertou em sua produtora ... porém esse acerto pode ter certeza ... foi um tiro no escuro ...

cinevita said...

Adorei MeninaMá.com, e tenho altas expectátivas por esse...mas não chegou aqui.

Otavio Almeida said...

Sim! Esqueci de O HOSPEDEIRO. É ótimo! Mas, desculpa, eu não parava de rir com o filme. É muito engraçado.

Aquele ataque inicial da criatura é assustador, mas o filme é uma mistura de horror, aventura, ficção científica e comédia. Eu ri muito. É um filme único. Bela lembrança.

Abs!

Romeika said...

Kamila, vc e o Otávio me deixaram com vontade de ver esse filme, faz tempo que não assisto a um bom filme de terror (o último foi "Abismo do Medo" ano passado). E essa imagem é bem assustadora!

Ah, essa sensação de estar numa sala fria e escura e sentir o clima do filme, é a mesma de sair de casa às 6h, 7h, 8h da manhã aqui em dez/jan. DK no auge do inverno: Barrow. hehe:-)

Kamila said...

Como o Otavio disse, Cassiano, "30 Dias de Noite" é ótimo. E olha que este tipo de filme nem faz meu estilo.

João, não assisti a "O Hospedeiro", mas sei que uma opinião unânime a respeito desse filme é que ele é ótimo. Espero conferí-lo algum dia.

Wally, não chegou esse, mas chegou "O Assassinato de Jesse James". Vamos trocar?? :-)

Romeika, então, você vai se identificar totalmente com essa história. rsrsrsrs

Beijos e bom final de semana!

Marfil said...

Não faz meu gênero, todavia inevitavelmente meu irmão vai me arrastar para vê-lo...

Kamila said...

Sempre tem alguém que nos arrasta para assistir filmes que a gente, às vezes, não deseja, Marfil.

Alex Gonçalves said...

Kamila, fiquei um pouco surpreso com o texto e avaliação, pois, como você já confessou, não gosta de produções terroríficas aos moldes deste "30 Dias de Noite" ou outros exemplares.

A minha irmã viu e não gostou, mas devo encarar a todo custo até o fim do mês. Espero que supere as esperanças de ver um bom filme de vampiros - que possivelmente ganharam uma maquiagem bem distinta, comparando com outros sangues-sugas.

Kamila said...

Alex, você está certo: eu não gosto de filmes nesse estilo, mas "30 Dias de Noite" é um filme surpreendente.