Monday, February 11, 2008

Meu Nome Não é Johnny (2008)

Sabe aquela velha afirmação de que tudo pode acontecer na casa dos outros, mas você nunca imagina que um dia você passará por isso? Foi assim, pega de surpresa, que a mãe (Julia Lemmertz) de João Guilherme Estrella (Selton Mello, como sempre numa ótima atuação) descobriu que o filho havia se transformado num grande traficante de drogas do Rio de Janeiro. Quando você observa a superfície, consegue compreender toda a surpresa da mãe de João, afinal o garoto nasceu em uma família de classe média alta, estudou nos melhores colégios e tinha tudo nas mãos para vislumbrar um grande futuro para si próprio. No entanto, na medida em que o roteiro de Mauro Lima e Mariza Leão mergulha na vida de João Estrella, você começa a entender porque a vida dele teve um destino completamente diferente do esperado.

Sim, João nasceu em uma família de classe média alta; teve pais participativos, porém permissivos; inteligente e carismático, se rodeou de um grupo fechado de amigos (interpretados por Ângelo Paes Leme e Rafaela Mandelli) e conquistou uma bela namorada chamada Sofia (Cleo Pires). Após a separação dos pais, a vida de João se transforma: morando com o pai (Giulio Lopes) – que passa os dias trancado dentro do quarto –, o garoto tem uma casa enorme nas mãos, realiza festanças e se entrega ao vício em drogas. Daí para passar ao posto de traficante é um pulo e João só é pego pela polícia por causa de sua ambição (ele começa a fazer transações internacionais).

É esta a história que nos será contada no filme “Meu Nome Não é Johnny”, do diretor Mauro Lima. A obra retrata a vida de João Guilherme Estrella, mas bem que poderia relatar as vivências de outros tantos jovens de classe média alta que são presos como traficantes de drogas. No entanto, o que torna este filme interessante é que João é a exceção de uma regra. Ele foi um sobrevivente e conseguiu se recuperar mesmo estando no ambiente auto-destrutivo das prisões brasileiras e, depois, num manicômio judicial. Isto está muito bem representado pela frase da escritora francesa Marguerite Yourcenar que Estrella lê em um cartão de Natal e que diz: “O verdadeiro lugar do nascimento é aquele em que lançamos pela primeira vez um olhar inteligente sobre nós mesmos”.

Cotação: 6,3

Meu Nome Não é Johnny (Meu Nome Não é Johnny, Brasil, 2008)
Diretor(es): Mauro Lima
Roteirista(s): Mariza Leão e Mauro Lima com base no livro de Guilherme Fiúza
Elenco: Selton Mello, Cléo Pires, Cássia Kiss, André de Biase, Ângelo Paes Leme, Rafaela Mandelli, Gillray Coutinho, Luis Miranda, Aramis Trindade, Kiko Mascarenhas, Flavio Bauraqui, Orã Figueiredo, Hossein Minussi, Ivan de Almeida, Flávio Pardal

19 comments:

Alex Gonçalves said...

Kamila, li os comentários e logo envio para você como está funcionando o Bolão do Oscar.

Em questão do filme nacional "Meu Nome Não é Johnny" já me envolvi somente nestas pequenas passagens descritas no texto do personagem real interpretado por Selton Mello. Mas vou optar por vê-lo em seu lançamento no DVD. Estava super ansioso de ver outro filme nacional, "O Signo da Cidade", mas o Cinemark fez o "favor" de tirá-lo de exibição na sua segunda semana completa em cartaz. :x

Kamila said...

"O Signo da Cidade" tem sido super elogiado, né? Estão até comparando o filme do Carlos Alberto Riccelli à "Crash - No Limite".

Aguardo as informações sobre o Bolão do Oscar.

Wally said...

Eu quero ver. Ainda não foi possível mas vou tentar ver nos cinemas ainda (o sucesso ta tão grande que eu dúvida que sairá fácil). Sobre Signo da Cidade, ouvi falar bem mesmo, mas esse não chegou aqui.

Ciao!

Weiner said...

Quero muito ver "Meu Nome Não é Johnny", principalmente pelo elenco maravilhoso. A biografia de Joaão Estrela é interessantíssima, poxa, quase sempre as pessoas acham que drogas e criminalidade são exclusividade daqueles nascidos em comunidades carentes. A história de João mostra exatamente o contrário. E lógico, a recuperação de sua posição de cidadão deve ser mesmo a grande mensagem que o filme traz.
Abraços.
P.S Sem querer eu apertei duas vezes o "Publish your comment" no post abaixo. Perdoa o deslize. :-)

Vinicius Silva said...

Kamila, querida, vossa pessoa nao entrou em contato comigo, que coisa feia (rs)

Mas, a idéia é assim (falo por aqui porque ae se voce se interessar c me manda um mail), estou juntando vários blogueiros para fazer um podcast especial nesse domingo sobre o Oscar 2008.

Assim sendo, estou chamado você, porque estou aqui sempre lendo as suas críticas e sei do seu profundo conhecimento sobre a arte cinematográfica. Se voce tiver interesse, basta entrar em contato comigo vinicius@plugado.tv que ae eu te passo meu msn e a gente acerta tudinho pra gravar no domingo o podcast.

Minha idéia é juntar 6 pessoas, se voce aceitar, já somos 4. Faltam só mais duas. Se voce tiver alguém em mente, sugira, porque ae eu entro em contato e a gente faz uma "mesa-redonda" na internet aiuahuahi

beijos!

E eu gostei de Meu Nome Não é Johnny, mais pela atuação do Selton Mello que, a cada filme, prova ser um grande ator.

Museu do Cinema said...

Perdi esse filme, mas já li críticas pesadas sobre ele. O pior é q até tava afim de vê-lo.

Ramon Scheidemantel said...

Poxa, Kamila, você me convenceu que o filme pode até não ser assim tão ruim. hehe!
Vou conferir quando puder.

Vinícius P. said...

Gosto muito do Selton Mello, talvez seja o melhor ator brasileiro da atualidade, mas por algum motivo não tive muita vontade de ver esse filme. Parece uma fita comum que se perde em suas pretensões, mas devo conferir em DVD.

Abraço!

Pedro Henrique said...

Pô, ainda não consigui ver. Terei que esperar o DVD.

Abraço!!!

Rogerio said...

A superaçao do João Estrella é 10, mas o filme é 5.
Parece uma novela curta, cheia de dialogos ensaiados (apenas o Selton vai bem)por atores que nao se desprendem da vida noveleira. Mauro Lima nao conseguiu tirar isso deles.
Alem disso, a historia dele é exceçao.No geral, essa viagem não tem volta.

Kamila said...

Wally, "O Signo da Cidade" ainda não estreou por aqui também. E o sucesso de "Johnny" tem sido enorme mesmo. A trajetória do filme nos cinemas deve ser longa por causa disso.

Weiner, é justamente por causa das características citadas em seu comentário que "Meu Nome Não é Johnny" é um filme bem interessante. E não se preocupe em relação ao duplo comentário. :-)

Vinícius Silva, o Selton Mello é mesmo um ótimo ator. Adoro ele. Um dos meus favoritos. Vou ver aqui como anda meu tempo para o Domingo e, qualquer coisa, entro em contato com você. Obrigada pelo convite.

Cassiano, como assim, críticas pesadas? Críticas que detonam o filme?

Ramon, o filme não é tão ruim assim. Acho que você pode dar uma chance a ele. :-)

Vinícius, acho que o Wagner Moura é o melhor ator brasileiro da atualidade. Se quiser esperar, o filme funcionará perfeitamente no DVD.

Pedro, falo para você o mesmo que disse ao Vinícius. :-)

Rogerio, é justamente pelo fato do Estrella ser a exceção da regra que esse filme merece ser visto. E, concordo: do elenco, só se salva mesmo o Selton.

Romeika said...

Se pudesse, veria o filme pelo Selton Mello, um dos meus atores nacionais favoritos. A trama tb parece interessante.

Otavio Almeida said...

O Cassiano tem razão. O filme foi muito criticado. Até a CBN disse que é um dos piores roteiros do cinema nacional. Enfim, ainda não assisti.

Eu vi foi O SIGNO DA CIDADE. Até a música lembra CRASH. Só que com gente pelada...

Bjs!

Kamila said...

Romeika, é um filme interessante, sim. Bem atual.

Otavio, não sabia de toda essa reação negativa em torno do filme. E, me diga: se assemelhar com "Crash" é bom ou ruim para "O Signo da Cidade"?

Beijos.

Daniell said...

O que mais me incomodou em Meu Nome..., foi a forçada de barra em alguns momentos, para a comédia pastelão, algo que eu achei que não se encaixa muito bem no resto do filme. A sequência no quarto de hotel em veneza, quando ele entra pela janela, foi a pior pra mim. Destoa totalmente do resto do filme. Mas quanto ao restante do filme não é de todo mal... dá pra divertir.

Kamila said...

Daniell, as cenas de Veneza (quarto de hotel, barco, gôndola) também não foram do meu agrado.

Alex Gonçalves said...

Kamila, se está sendo comparado com "Crash - No Limite" então é porque o negócio é bom mesmo. Espera-se que a Europa Filmes lance com certa urgência a produção, já que estou super ansioso em assistir. Caso ganhe a oportunidade de vê-lo, não esqueça de comentar depois!

Kamila said...

Pode deixar que, se assistir "O Signo da Cidade", deixarei meu comentário por aqui.

alan said...

acho que marguerite é belga...